29 de abr de 2013

Chartreux | Gatos de Raça



Foto: mypetla.com
Um gato que mais parece ter um corpo com formato de batata e patas em forma de palitos de dente.

Se você quiser um, esteja preparado para uma  longa, longa espera. Como eles são raros, o Chartreux só está disponível mediante reserva. Mas, como qualquer coisa de valor, a espera vale cada minuto.

E acredite, diferente de 99% dos gatos, ele atende pelo nome, como um cãozinho educado.


História

O Chartreux (pronuncia shar-troo)  pode ser uma das raças de existência mais antigas e, tardiamente, reconhecida pela CFA. Uma pesquisa recente mostrou que a origem desses gatos era na antiga Pérsia. Eles provavelmente chegaram aos mosteiros franceses com cavaleiros que regressavam das Cruzadas. Alguns gatos ficaram para trás e tornaram-se uma parte vital da vida monástica.


A lenda mais conhecida é que o Chartreux foi criado por monges Cartuxos no Mosteiro Grande Chartreuse, o principal mosteiro da Ordem dos Cartuxos, localizada ao norte de Grenoble, no sudeste da França. Os gatos foram criados seletivamente para ter voz baixa para não perturbar os monges durante suas meditações.

De acordo com o livro de Jean Simonnet, o chartreux teve a primeira menção escrita no dicionário universal de comércio,  publicado em 1723. Um manuscrito técnico para os comerciantes, que descreveu o Chartreux como um nome comum para um tipo de gato com os pelos azuis. O Dicionário Universal também observa que o Chartreux foi visto pela primeira vez com os monges deste nome.

É possível que a raça fosse nomeada com o mesmo nome de uma lã espanhola, bem conhecida no inicio de 1700, devido à lanosidade da pelagem deste gato.

Os 36 volumes da coleção de livros Histoire Naturelle (História Natural), escrita em, 1749 pelo naturalista francês Conde de Buffon, lista quatro raças de gatos que eram comuns na Europa nesse tempo: Gatos domésticos, Angorá, Espanhol e Chartreux.

O Chartreux, com as características atuais, começou em 1920, quando duas irmãs, Christine e Suzanne Leger, descobriram uma colônia de Chartreux na pequena ilha de Belleile, na costa da Bretanha, na França. Estes gatos azuis viveram em um hospital na cidade de Le Palais. O povo do Palais o chamava de  "gato do hospital", e as irmãs os adotaram. Os Legers foram os primeiros a trabalhar seriamente com a raça, e, em 1931, eles exibiram o Chartreux em Paris.

A devastação da Segunda Guerra Mundial dizimou a maior parte da  raça. Os poucos Chartreux restantes foram cruzados  com British Shorthair, Russian Blue e Persas.

Foto: cats-paradise.net/chartreux

Por um tempo na Europa, o Chartreux foi agrupado em uma única categoria de raça com British Shorthair e Russian Blue, e os cruzamentos eram permitidos. Isso não é mais o caso, e, a raça Chartreux, é considerada uma raça individual. Hoje, criadores trabalham para promover e proteger a Chartreux.

Helen Gamon de La Jolla, da Califórnia, EUA,  importou o primeiro Chartreux da França em 1970. Ela trouxe três gatos: Tornade, Taquin e Thilda, que se tornaram a base para o Chartreux norte-americano. Gamon e outros criadores dedicados foram fundamentais para estabelecer e avançar o Chartreux, nos Estados Unidos. O Chartreux, com o gene azul piscina, dos EUA é considerado um dos mais puros do mundo.

A raça foi aceita pela CFA para campeonatos campeonato em 1987 e hoje é aceita por todas as associações norte-americanas de gato.


Aparência

A característica marcante desta raça é a pelagem cinza com toque de  pelúcia, com pontas levemente escovadas na cor prata. A densa pelagem, que age como repelente de água, é de tamanho curta a média, com um subpelo resistente e um acabamento mais charmoso. O grau de lanosidade depende da idade, meio ambiente e do sexo; machos adultos costumam ter a pelagem mais densa. Pelagem mais fina é permitida em fêmeas e gatos com menos de dois anos de idade. Cinza em qualquer tom de ardósia é a única cor da pelagem aceitável. Clara e uniforme cor é mais importante do que a sombra, embora cinza brilhante com um brilho iridescente seja a preferido. Apenas cor sólida é permitida em gatos nas exposições, embora anéis de cauda possam ser evidentes até dois anos de idade.

O Chartreux é uma raça muscular, robusta, com um corpo médio a longo, ombros largos e um peito profundo. A musculatura é sólida e densa, e a ossatura é forte. Os machos são maiores e mais volumosos do que as fêmeas. Os machos adultos pesam de 4,5 a 6,5 quilos, fêmeas adultas pesam de 2,5 a 5 quilos.

As patas retas e robustas são relativamente curtas e de ossos finos. Os pés são redondos e de tamanho médio, e podem parecer quase delicadas em relação ao corpo sólido do gato. Devido a isso, o Chartreux é referido como uma batata em palitos.

A cabeça é larga e arredondada, mas não esférica definida em um pescoço relativamente curto. As mandíbulas são fortes e as bochechas cheias. A testa é alta e suavemente arredondada, o nariz é reto e de comprimento médio e largura, com um ligeiro desvio ao nível dos olhos. O focinho é relativamente pequeno, estreito e afilado, mas não pontudo, com pequenas almofadas e bigodes que contribuem para a expressão sorridente. As orelhas são de tamanho médio em altura e largura, eretas, e no alto de sua cabeça. Os grandes olhos arredondados estão atentos e expressivos, e variam em cor de cobre a ouro. Os olhos verdes são motivo de desqualificação.

Mais detalhes em: http://www.tica.org/members/publications/standards/cx.pdf


Saúde e Predisposição a Doenças

O Chartreux é uma raça rústica, saudável, com poucas preocupações.

No entanto, algumas linhagens são propensas a luxação patelar hereditária (luxação da rótula), causada por um gene recessivo. A rótula ocasionalmente aparece fora do seu local anatômico, quando a articulação é movida causando dor e claudicação. Se for grave, esta condição pode causar dor crônica. O deslocamento pode ocorrer repetidamente se o espaço anatômico, onde rótula repousa, é muito raso ou é mal formado. Raramente, a rótula vai deslocar permanentemente. Às vezes, essa condição pode levar à osteoartrite.

O Chartreux é propenso a ganhar peso à medida que envelhece, o que pode contribuir para problemas de saúde. É melhor não oferecer a vontade alimentos ao seu gato quando jovem, para não ter uma  luta restringindo comida ao seu amigo quando ele ficar mais velho.

Jogos e brincadeiras  regulares também vão ajudar a manter seu Chartreux magro e com boa saúde.


Cuidados

• Durante o outono e primavera, onde ocorre troca de pelos, pentear com um pente de aço, de duas a três vezes por semana.
• Oferecer uma dieta equilibrada, preferencialmente uma ração de qualidade super premium, e água mineral ou filtrada.
• Cortar as unhas semanalmente.
• Escovar diariamente os dentes com escova e pasta indicada pelo veterinário.
• Arranhadores são interessantes.
• Visitas frequentes ao veterinário para orientações quanto aos cuidados e vermifugação, além de todo esquema de vacinação.
• Muito amor, carinho e atenção.
Foto: cats-paradise.net/chartreux


Comportamento/Temperamento

Muitas vezes é chamado de "gato sorridente da França", por causa de seu doce sorriso. São amorosos e companheiros gentis, que cumprimentam suas pessoas favoritas com sorrisos e ronronar. Eles costumam manter os seus comentários para si mesmos, mas quando eles têm algo muito importante a dizer, eles miam como se estivessem cantando. Eles vão ronronar com grande entusiasmo, especialmente quando você está servindo o seu alimento preferido.

O Chartreux rapidamente tornar-se ligado a família. Conhecido por seu comportamento semelhante ao de um cãozinho, estes gatos podem ser ensinados a buscar uma bola, e a maioria irá responder a seus nomes.

O Chartreux é uma raça tranquila, cantando em um volume baixo, ao invés de miar com coisas que ele acha interessante. Este gato inteligente é fascinado pela televisão e fica sentado em uma janela ensolarada observando aves e outros animais ao ar livre. Chartreux adoram brincar e interagir com seus companheiros humanos.

A maturidade física é atingida geralmente aos três anos e se tornarem adultos com mente de um jovem adolescente desajeitado.

Muitos gostam de brincar com outros gatos e até mesmo com um cão agradável, se as apresentações necessárias são feitas corretamente. Mas, mais do que tudo, eles adoram passar o tempo com seus admiradores humanos.

Um caçador nato, o Chartreux pode ter sido usado antigamente principalmente para caçar ratos.


Notas

Nota1: Apesar de todas as qualidades de um gato de raça, um "vira latinha" apresenta milhões de qualidades, que o farão tão ou mais especial que qualquer gato de raça pura.
Nota2: Pense sempre em adotar um gatinho. Não existe um ato de amor tão especial, quanto à adoção. Seja adulto ou filhote, não compre, adote.


MV Marcelo Samegima Aleixo
http://www.facebook.com/profile.php?id=100000623329523
e mail e MSN: msaleixo@hotmail.com



5 comentarios:

Gustavo disse...

Onde posso achar um?

Smartiiiiie disse...

Boa noite.
Gostava muito de adotar um chartreux. Como faço?

macarau adventures disse...

http://www.chartreux.com.br/fale.html

macarau adventures disse...

http://www.chartreux.com.br/fale.html

macarau adventures disse...

http://www.chartreux.com.br/fale.html

Postar um comentário

Olá!
Estamos muito gratos por receber seu comentário aqui no Tudo Gato!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...