Gato-selvagem-escocês

Na coluna deste mês vamos voltar no tempo, às origem de TODOS os gatos domésticos: o gato-selvagem (Felis silvestris)!



Gatos-selvagens não são gatos mal humorados (se bem que alguns viram tigres quando provocados...) nem ferais, são parte de uma espécie diferente e, atualmente, bastante rara.


Existem 5 espécies de gatos-selvagens:

- Europeu (Felis silvestris silvestris)
- Ocidental (Felis silvestris lybica)
- Africano (Felis silvestris cafra)
- Asiático (Felis silvestris ornata)
- Chinês (Felis silvestris bieti)
Gato-selvagem-escocês


Todos possuem características semelhantes, mas dependendo de onde vivem, são ligeiramente maiores ou menores e, logicamente, existem diferenças na cor e textura do pelo.


Eu escolhi me concentrar mais no gato-selvagem-escocês, porque é o único que tem a sua própria sub-especie (Felis silvestris grampis - sub-espécie do grupo Europeu) e com algumas caracteristicas especiais, por ter evoluído em uma ilha.


O gato-selvagem-escocês é um pouco maior que um gato doméstico, mas muito mais musculoso, com os traços faciais bem definidos. Um macho adulto chega a pesar 9kg, e uma fêmea, 7kg. O pelo é listrado como alguns gatos domésticos, mas muito mais espesso, com sub-pelo, inclusive na cauda. As listras da cauda são bem escuras e definidas, a ponta é sempre negra e arredondada. Esse gato é extremamente ágil e rápido e pode alcançar velocidades de até 45km/h!!! Atualmente existem cerca de 400 gatos-selvagens na natureza (somente na Escócia) e bem poucos em cativeiro em zoológicos britânicos.

Gato-selvagem-escocês

Um grande problema da linhagem do gato-selvagem-escocês é, surpreendentemente, a perda da raça pura, pois é muito comum gatos-selvagens e "domésticos" (ferais e gatos que vivem em fazendas) cruzarem; os filhotes obviamente não são nem selvagens, nem domésticos - esses sim são gatos indomáveis pois não têm o medo inerente dos humanos como os selvagens e não são nada dóceis como os domésticos! Muitos desses gatos híbridos são pretos e são conhecidos como "kellas". Acredita-se que um único gato-selvagem-escocês melanístico (preto) existe no momento, filmado quase que por acidente por um time da BBC, que há dois anos gravava um programa sobre esses gatos tão especiais.


A dieta do gato-selvagem-escocês consiste principalmente de coelhos e lebres, mas também outros roedores e até peixes, pois esse gato não é tão averso a água como a maioria dos felinos. Incrivelmente não caçam pássaros, a não ser em último caso, quando não acham nada mais apetitoso.


As fêmeas têm uma gestacao de 60 a 68 dias e nascem em média 4 filhotes. A expectativa de vida na natureza é de 8 anos, 15 em cativeiro. Segundo estudos, 92% das causas de morte do gato-selvagem é de origem humana: armadilhas, atropelamento, caça ilegal, envenamento, perda de habitat, etc.

Gato-selvagem-africano

E uma curiosidade: acredita-se que o verdadeiro antecessor dos gatos domésticos, como os conhecemos hoje, foi um gato-selvagem-africano, domesticado há cerca de 100 mil anos. Os genes desses gatos ainda são encontrados no código genético dos nossos gatinhos!


Bea
facebook.com/tudogato



2 comentarios:

Anônimo disse...

legaaal!

charly diego siqueira disse...

Muito bom, ótimo texto.

Postar um comentário

Olá!
Estamos muito gratos por receber seu comentário aqui no Tudo Gato!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...