10 de nov de 2011

Lince | Foco Felino Selvagem



A coluna desse mês é sobre outro gato bastante fácil de ser identificado... Será? Estou me referindo ao lince! "Como assim, não é fácil de identificar, são os gatos com os "tufinhos" nas orelhas!" Bom, isso é verdade, mas existem quatro espécies, além do caracal, que também tem os tufos, mas pertence a uma família completamente diferente!


As espécies de linces são:

Lince Iberico (Lynx pardinus)

Esses animais são os mais ameaçados de extinção. Como o nome indica, o habitat original é a Península Ibérica (Portugal e Espanha), mas atualmente só existem cerca de 100 indivíduos na natureza. São os menores linces, atingindo mais ou menos 70cm de altura, 1,10m de comprimento e até 13kg (como em todos os felinos, as fêmeas são um pouco menores). O pelo, geralmente acinzentado, possui muitas rosetas negras, lembrando um leopardo. A classificação de conservação é CR (condição crítica).


Lince Boreal ou Eurasiático (Lynx lynx)

Do menor para o maior; os linces eurasiáticos são os mais comuns, tendo como habitat natural o norte da Europa, Rússia e Asia ocidental.

Podem medir cerca 1,30 de comprimento e pesar 30kg. As patas são relativamente grandes e possuem tufos para proteger da neve no inverno. A pelagem de verão é curta e bem avermelhada - no inverno fica longa e prateada - com pequenas rosetas em número muito variável, alguns são bem pintadinhos e outros possuem pelagem quase que totalmente uniforme.


Lince Pardo (Lynx rufus)

Esses são um dos linces americanos (também chamados de bobcat ou lince-montes), vivem nos Estados Unidos e México. O nome bobcat deriva da cauda curta, que é uma característica dos linces.

Um macho adulto chega a medir 1,25 de comprimento e pesar 19kg. O pelo é curto e sedoso e ocorre em várias tonalidades de cinza e marrom, com a barriga branca. Não tem rosetas perfeitas, são ovais ou formam listras curtinhas. Possuem 14 sub-espécies, conforme a região onde se encontram.


Lince-do-Canadá (Lynx canadensis)

Obviamente esse felino tem como habitat o Canadá e Alasca, e como vivem em regiões quase sempre muito frias, têm uma pelagem espessa e bem longa, prateada no inverno e avermelhada no verão. Não possuem rosetas ou listras, o pelo é "ticado" (com as pontas negras). Por causa do pelo denso, parecem maiores do que realmente são: medem 1,05cm e pesam até 11kg, mas as patas são enormes em relação ao tamanho, chegando a medir 10cm de circunferência - evitando que o animal afunde na neve durante os longos invernos.


Todos os linces são carnívoros e se alimentam de qualquer animal menor que eles, como qualquer felino. Coelhos e lebres, pássaros, anfíbios e pequenos antílopes fazem parte do menu. Os linces eurasiáticos também atacam renas e os linces pardos podem atacar cães e gatos domésticos! Não são felinos muito atléticos e costumam usar o elemento de surpresa na caça, ficam escondidos e imóveis esperando a presar passar, fazendo uma emboscada.


Normalmente solitários, os linces as vezes formam pequenos grupos quando caçam. O período de acasalamento é geralmente no final do inverno, a gestação dura cerca de 70 dias e a ninhada dificilmente é de mais de 2 filhotes, que permanecem com a mãe até completarem um ano e meio. Em cativeiro vivem cerca de 20 anos (10 anos na natureza). Um dos linces eurasiáticos mais idosos em cativeiro faleceu recentemente aos 22 anos.


A expressão "olhos de lince" provavelmente deriva da mitologia grega dos Argonautas: um dos 55 heróis que embarcaram no navio a busca do Tosão de Ouro se chamava Linceu, que segundo a lenda, tinha a visão tão desenvolvida que enxergava através de qualquer barreira, achando os tesouros facilmente. Porém, como a maioria dos animais com orelhas grandes, os linces na verdade tem a audição mais apurada que a visão!


As fotos daqui são todas de linces eurasiáticos em zoos europeus, infelizmente ainda não ganhei na loteria pra poder passar as férias fotografando animais ao redor do mundo, mas a esperança é a ultima que morre! A segunda foto foi tirada durante um evento especial, depois que o zoológico fechou para o público, onde além de uma palestra, tivemos a oportunidade de ver vários felinos sendo alimentados de um modo diferente, com a comida dentro de caixas ou suspensa em arvores, como no caso do lince. Foi um pouco chocante e ao mesmo tempo fascinante ver um coelho inteiro sendo devorado em poucos minutos!


Para mais informações sobre a conservação dos linces ibéricos, visitem este site (em espanhol) http://www.lynxexsitu.es/index.php


Bea
twitter: @Foco_felino



7 comentarios:

Anônimo disse...

Realmente muy buena informacion, con una muy buena descricion de las subespecies de lince, ademas de ser muy entretenidad. los felicito!!

Parabens pra vocês, e muito obrigado pela informaçao.

Jorge.

Bea disse...

Muchas gracias Jorge!

Zanarde disse...

oiii
Adorei o post. Está bem legal. Gostei da parte final que fala dos olhos de lince.
Deu vontade de apertar esses fofos. E tomara que vc ganhe na loteria, mas não pode esquecer de postar
bjsss

DogVila disse...

muito bom

Anônimo disse...

Muito bom o artigo..super didático e gostoso de ler....parabéns...
Marcelo Samegima

faby disse...

Amei o post e estou torcendo pra ti ganhar na loteria e vir postar aqui as fotos hehehe
bjus

Bea disse...

Obrigada a todos pelos comentarios sempre muito gentis! E logico que vou "gastar" a internet de tantas fotos se eu tiver a oportunidade de fazer safaris fotograficos!! :)

Postar um comentário

Olá!
Estamos muito gratos por receber seu comentário aqui no Tudo Gato!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...