24 de ago de 2011

Persa - Gatos de Raça


Origem

Foto: Cattexture
A raça Persa é uma das mais antigas raças de gatos, além de ser, sem dúvida, a mais popular, tanto no Brasil, quanto em vários outros países.

Acredita-se que os gatos ancestrais dos Persas atuais foram levados da Pérsia à Europa por exploradores europeus do século XVII, mas registros em hieróglifos com data aproximada de 1634 A.C. colocam em dúvida a data exata do surgimento da raça.

Os primeiros Persas foram importados para a Itália em 1620 por Pietro Della Valle. Na mesma época, Nicholas-Claude Fabri de Peiresc importou da cidade de Angora (atualmente, Ankara) na Turquia, exemplares de gatos Angorás para a França e estes logo chegaram à Grã-Bretanha.

Os Persas importados eram de cor cinza, enquanto que os Angorás eram brancos.

Gatos de pelos longos eram importados de países como Afeganistão, China, Burma (atualmente, Myanmar) e Rússia e o cruzamento de gatos de raças diferentes era bem comum, especialmente o cruzamento entre Persas e Angorás. Apesar desses cruzamentos terem ocorrido com frequência, os Persas atuais têm mais genes de Persas mesmo, que de Angorás.


Aparência

Persas têm corpo compacto, ossatura larga, musculatura bem desenvolvida, cabeça grande e arredondada, pelagem longa e densa, grandes olhos arredondados, além da face achatada. Em relação à face, é bom lembrar que os Persas tradicionais possuem face normal e são chamados de “doll faced” (cara de boneca), enquanto que os de face achatada são chamados de “peke faced” (o Peke vem de Pekingese, ou “Pequinês”, em português, já que uma das principais características dessa raça de cão é a face achatada também).

No final dos anos ’50, uma mutação espontânea em exemplares red (vermelho, ou laranja, como são mais conhecidos popularmente) e red tabby (laranja tigrado) deu origem aos Persas “peked face”, que chegou até a ser registrada como raça pela CFA (Cat Fanciers’ Association), mas que não vingou, devido aos sérios problemas de saúde de seus exemplares.

Mesmo assim, alguns criadores gostaram do tipo e passaram a promover cruzamentos seletivos, visando obter exemplares semelhantes aos peked faces e é esse o tipo que conhecemos atualmente, embora ainda existam criadores que se dediquem à criação de Persas com a aparência original, os “doll faced Persians”.

Os olhos podem ser azuis, amarelos, cobre e verde (no caso de Persas Silver, Golden e Chinchila). Há ainda os exemplares “Odd-eye ”, que nascem com olhos de cores diferentes.


Cores
Eu peço desculpas antecipadamente porque tenho certeza de vou deixar alguma cor de fora, haja vista a imensa variedade de cores permitidas pelo padrão da raça Persa. As cores são separadas por divisões

Clique nos links, para ver as fotos:

Cores Sólidas: são os exemplares de uma única cor.

Shaded e Smoke: pelagem com pontas coloridas sobre fundo branco

Tabby: pelagem com listras que se dividem em três tipos: classic, mackerel e patched tabby

Particolor: pelagem com mais de uma cor. Neste grupo estão os exemplares tortoiseshell (escama de tartaruga), chocolate tortoiseshell, blue-cream e lilac-cream,

Bicolor: cálico

Bicolor

Smoke and White
 
Tabby and white

Himalaios: é o Persa “ponteado”, ou seja, com as extremidades coloridas e todos os exemplares tem olhos azuis . Os mais comuns:

Seal point
Chocolate point
Red point
Lilac point
Blue Point
Cream tortie

Além dessas, existe várias outras cores de Himalaios.


Silver e Golden: essa divisão é formada pelos Persas Chinchilas, Os Persas Silver e os Persas Golden, Os exemplares desses três tipos tem olhos verdes e é a divisão que tem mais gatis trabalhando com “doll faced”, ou seja, o Persa com narizinho.

Chinchila

Silver

Golden




Saúde e Predisposição a doenças

O maior problema de saúde na raça, sem dúvida, é o PKD (Polycystic Kidney Disease) ou Síndrome dos Rins Policísticos, que é uma doença hereditária, progressiva e fatal.

O gato portador de PKD já nasce com pequenos cistos nos rins. Esses cistos vão crescendo vagarosamente, enquanto tomam o lugar do tecido renal sadio. Aos poucos, os rins vão perdendo suas funções, o que culmina na morte do gato.

Não existe tratamento definitivo para essa doença, apenas tratamento paliativo, para atenuar os sintomas da doença.

Para quem quiser saber mais, dê uma espiada no link abaixo, que está em inglês, mas dá para ver através de imagens a evolução da doença: http://felipedia.org/~felipedi/wiki/index.php?title=PKD&oldid=25167


Anos atrás, os gatis testavam seus exemplares através de ultrassonografia, antes de cruzá-los, para evitar o nascimento de filhotes acometidos pelo PKD, mas o método se mostrou ineficaz, porque nem sempre era possível detectar alguma anormalidade na ocasião do exame e com isso muitos exemplares acabaram nascendo com a doença. Só mais recentemente foi disponibilizado o teste através de DNA .

É fundamental que a pessoa que pretenda adquirir um Persa, o faça de um criador sério, que teste seus exemplares antes de reproduzi-los. O PKD é uma doença fatal, mas sua evolução costuma ser lenta e bastante sofrida, tanto para o gato, quanto para seus humanos.


Exemplares muito extremados (carinha muito achatada) podem ter problemas respiratórios e nos canais lacrimais. A pelagem longa deve receber atenção constante e é importante que seja seca com cuidado cada vez que o gato toma banho a fim de se evitar o aparecimento de micose, problema bastante comum na raça.

Fêmeas Persas têm grande tendência a terem problemas de parto, muitas até precisam de cesariana para terem seus filhotes. Este é mais um motivo para que humanos de Persas não os reproduzam.


Cuidados

Quem se dispõe a ter um gato Persa precisa estar ciente de que a raça exige cuidados especiais devido à longa pelagem de seus exemplares, além de suas outras características físicas. É bom lembrar que esses cuidados não são necessários apenas por questões estéticas, mas porque a falta deles pode comprometer sua saúde também.

Além dos cuidados comuns a qualquer outro gato, como corte de unhas, limpeza de ouvidos com produto indicado pelo vet de confiança, as escovações diárias, banhos frequentes, idas à pet shop, para banho e tosa higiênica, além de limpeza constante das secreções oculares, fazem parte da rotina dos Persas e de seus humanos.

Como a maioria dos Persas tem um nível de atividade baixo, é importante também estar atento para que ele coma ração de boa qualidade, na quantidade correta, caso contrário, ele corre o risco de ficar obeso ou, no mínimo, com sobrepeso, o que não é bom para sua saúde.

Vômitos de bolas de pelos é comum na raça, portanto é preciso estar atento a isso e oferecer-lhe regularmente as “pastinhas”, para que elimine os pelos com as fezes.

O que eu não posso deixar de falar aqui é que perdi a conta das vezes em que vi protetores resgatando Persas em estado lastimável, com a pelagem cheia de nós, problemas de pele, etc.

Infelizmente, esse tipo de coisa é mais comum do que se imagina, porque algumas pessoas se encantam com a beleza desses gatos, não sossegam até levarem um exemplar pra casa, mas não param para pensar se terão condições de cuidar dele de forma adequada. É um gato que requer tempo de seu humano de estimação, afinal, precisa de cuidados diários com sua pelagem, olhos, etc.


Temperamento e Comportamento

Geralmente são gatos tranquilos, amigáveis e afetuosos sem serem “grudentos”. Miam pouco e seu miado é suave. Não costumam ser destruidores e convivem bem com outros animais.

Persas têm nível de atividade baixo, em relação a outros gatos. Eles brincam, mas no seu próprio ritmo, sem as estripulias de raças mais agitadas.

Apesar de toda calma e tranquilidade, alguns dão um pouco de trabalho para seus humanos na hora de serem medicados, escovados ou terem suas unhas cortadas e suas orelhas limpas.

Mesmo se tratando de uma raça muito tranquila, é bom que seus humanos não os subestimem, afinal, gato é gato e os mesmos cuidados que se tem com srds ou gatos de outras raças em relação à sua segurança, é preciso que se tenha com Persas. Digo isso, porque conheci pessoas que tinham Persa em apartamento que só foi telado, porque eu doei outro gato a eles e exigi que colocassem telas em tudo.

É um pouco mais difícil encontrar “genéricos” de Persas para adoção, mas não é impossível, especialmente os genéricos de Persas tradicionais.

Se você deseja ter um gato e pelagem longa, considere adotar um, em vez de comprá-lo, mas pense muito bem antes de fazer isso, não se esqueça de que são gatos que necessitam de cuidados especiais e você precisará dispor de tempo para isso!


Um abraço!

Heloisa
twitter: @all_breeds



13 comentarios:

Laura disse...

Adorei o post como sempre!!! Acho lindo os persas, mas sei que exigem muuitos cuidados!

Bjs

Gata Lili disse...

Muito bom!!! Aqui em casa tem um casal de persa e tudo que tem neste post é a nossa realidade. Excelente post. Beijo no nariz.

Zanarde disse...

Oi...amei o post...ta ficando repetitivo falar isso...
Esses gatos sao lindos mesmos....
Bjsss

João Víctor disse...

Não gosto muito dos peke face, ficam tão feios (e falam dos sphynx...) Acho até antiético esses cruzamentos que praticamente deformam os animais (os cães sofrem mais com isso: o buldogue francês é tão pequeno e deformado que não conseguem cruzar naturalmente e as fêmeas só podem dar à luz por cesariana), devia ter um limite isso.

Heloisa disse...

Peço desculpas por estar respondendo só agora os comentários, tive alguns problemas bastante sérios.

Laura, Gata Lili e Zanarde, obrigada pelos comentários, fico contente que tenham gostado!
Beijos pra vcs!

João Victor, eu concordo com vc, sou obrigada a admitir que não gosto de Persas com carinhas muito achatadas, não acho bonitos, além disso fico com dó, porque alguns gatos muito extremados tem problemas físicos por causa disso, alguns mal conseguem respirar direito.
Vc já viu o vídeo "O segredo dos Pedigrees"?Se não viu, veja!O link é este:
http://www.youtube.com/watch?v=cpakSi010n4&feature=results_video&playnext=1&list=PLD24A4CDD5FF865ED

É absurdo o que fazem, deveria mesmo haver um limite para essas coisas.

Anônimo disse...

Oi adore os gatos, mas soube que na primeira de semana, precisa deixar o gatinho trancado. E Verdade?


Um Beijo,e Lindos gatos

Ana Carolina disse...

Olá!

Gostei muito do seu blog!

Amei este post sobre os gatos persas. Resolvi criar persas e exóticos neste ano e todos os dias saio em busca de informações sobre esta raça. Uma das minhas grandes preocupações é a questão do parto. Não tenho experiência alguma e tenho medo de perder as minhas gatas e seus filhotes. Quando a gatinha estiver para ter os filhotes, você acha recomendável leva-la até ao vet para que o Dr. mesmo a auxilie no parto?
Obrigada.

Anônimo disse...

tenho um persa mais nao telei a minha varanda ele adora ficar na varanda, nunca fugiu vc acha que ele corre risco??

Anônimo disse...

Adorei
Vc recomendaria algum lugar para adotar um ou comprar mais barato?

Anônimo disse...

Se recomenda manda nesse email nina.pereiraa@hotmail.com

Luciana Silva disse...

Gostaria muito de adotar uma gatinha persa mesmo que fosse cruzada com um SRD. Luciana slully@uol.com.br

Anônimo disse...

Essas informações vão me ajudar muito com o meu que adquiri a pouco tempo.

Anônimo disse...

Tenho um gato persa mais to em duvida se realmente e persa ou angora turco se parecem muito como descobrir se realmente e persa?
Alguem souber chama no zap
(75)98245-5507

Postar um comentário

Olá!
Estamos muito gratos por receber seu comentário aqui no Tudo Gato!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...