Makari, um dos tigres que foi descoberto ser hibrido com
testes de DNA modernos (WHF)

Dessa vez a coluna vai ser um pouco diferente, já que não vou falar de um gato em particular, mas de dois santuários de felinos selvagens que tive a oportunidade de visitar recentemente: Wildlife Heritage Foundation (WHF) e Cat Survival Trust (CST). O que eu achei mais interessante, além de passar horas com os gatos, lógico, foi como esses dois lugares, apesar de ter o mesmo objetivo, conservação de felinos selvagens, operam de um modo bem diferente.

Para começar, um pouco de informação de cada um:

WHF é uma fundação relativamente recente, em Kent, na Inglaterra. São membros do EEP (European Endangered Species Programmes) e fazem parte de uma fundação maior, sem fins lucrativos, que abrange um zoológico e grupos ecológicos. O lema da WHF é Conservation, Procreation, Liberation — Small steps for Big Cats (Conservação, Procriação, Libertação - pequenos passos para grandes gatos). Além dos felinos eles promovem conservação da flora inglesa e consequentemente, pássaros e insetos nativos. O centro em Kent não é aberto ao publico em geral, mas eles promovem "dias fotográficos", "tratador por um dia" (ambos caríssimos, mas valem a pena!) e outros programas anuais, como o churrasco que eu participei. No momento eles possuem cerca de 40 felinos de todos os tipos e cerca de 15 funcionários entre administração e tratadores.
Mandalay e Ben, dois leopardos-nebulosos
resgatados de zoos que fecharam (WHF)

CST foi fundado em 1976 pelo Dr. Terry Moore, que ainda é o diretor, em Hertfordshire. Foram a primeira fundação completamente dedicada a conservação e resgate de felinos selvagens no Reino Unido e são responsáveis pelo cuidado de cerca de 30 felinos, dois lêmures, três pôneis e uns 40 gatos domésticos que foram abandonados na porta (o povo lia Cat Survival Trust na placa e assumia que era resgate de gatos domésticos!). O CST é localizado numa fazenda de mais ou menos 5 hectares. Também não é aberto ao publico, mas com uma contribuição anual mínima (equivalente a uns R$3 por mês!!!!!) pode-se tornar sócio e com direito a quantas visitas quiser. Os custos são cobertos totalmente por doações e lucros da pet shop que fica na entrada. Alem dos 4 funcionários permanentes, o resto do trabalho é feito totalmente por voluntários.

Narnia, maravilhosa tigresa hibrida,
resgatada de um circo (WHF)
Ambos são licenciados e autorizados a procriar felinos em vias de extinção no habitat natural, como leopardo-de-amur, tigre siberiano, leopardo-das-neves, gato-de-Pallas etc. Alem dos animais para reprodução (que são "trocados" temporariamente com outros parceiros do EEP) eles também recebem resgates de circos, zoos que fecharam ou perderam a licença, importações ilegais e ate ex-animais de estimação, por incrível que pareça!

Sobre as visitas, não preciso dizer que estava extremamente ansiosa por semanas! No WHF, como foi um dia bem programado, com churrasco, rifa e cerca de 50 outros participantes, não foi possível saber de muitos detalhes de todos os gatos pois os funcionários estavam ocupadíssimos, mas foi ótimo para passear e tirar fotos até doer o dedo! O lugar é hiper moderno, arrumadinho, jardins impecáveis, lojinha, bar, funcionários altamente treinados tanto em cuidados com os animais como em relações públicas, tudo praticamente impecável, já que recebem fundos consideráveis do zoológico Paradise Wildlife, que faz parte da fundação.

Misha, caracal que não foi aceito pelos
zoos porque tem a pontinha das orelhas
deformadas... (CST)
Foi ótimo para rever alguns dos meus gatões favoritos que estavam emprestados a zoos que eu frequento e conhecer outros que eu babava nas fotos de amigos, para mim foi como estar presente na cerimonia do Oscar e ver os artistas famosos de pertinho! Também foi muito interessante aprender sobre os tigres híbridos e tigres puro: tigres híbridos não podem ser usados para reprodução, e em certos casos o único jeito de saber se um tigre é hibrido ou não é teste de DNA, que até muito recentemente não era preciso; muitos tigres que acusaram raça pura, quando re-testados com nova tecnologia foram confirmados como híbridos... e acabaram em santuários já que alguns zoos não tinham espaço para manter dois ou mais tigres separados. Além dos tigres, eles possuem leões, servais, pumas, gatos-de-Pallas, linces e um dos poucos leopardos negros no país, o lindo Khan, que ilustrou o Foco Felino Selvagem sobre leopardos.

No CST o esquema é completamente diferente. Para começar é uma fazenda normal, com plantações, silos, tratores e construções intermináveis! Os habitats dos animais ficam espalhados e não tem nada de caçadas, jardins, rampas... é tudo bem rústico, se faz sol tem poeira, se chove é um festival de lama, mas felizmente eu fui preparada, de galochas! Chegamos a passar reto pela entrada, porque parece aqueles postos de gasolina no meio do nada, tipo "último posto por 1000km" de filme americano... mas as aparências enganam! Como mencionei, o trabalho todo, de construção a manutenção, cuidados com os animais, limpeza, loja e administração é feita pelos 4 funcionários e voluntários que vem e vão. E tem sempre MUITO trabalho! No momento eles estão construindo uma nova unidade de reprodução e aumentando o habitats dos felinos maiores. O material é doado e reciclado ao máximo - por exemplo, usam plásticos não-recicláveis derretidos para as plataformas dos felinos: durável, fácil de limpar e relativamente barato! Como não é aberto ao público, precisei marcar dia e hora com antecedência para a visita. E sinceramente achei que chegaria lá, alguém ia apontar de longe: "o puma ali, o leopardo lá, o Pallas acolá, obrigado, bom dia, volte sempre".

Um dos varios leopardos-das-neves (CST)
Felizmente eu estava muito enganada! Um dos funcionários que trabalha lá por mais de 30 anos, o simpaticíssimo Jim, passou duas horas mostrando e contando em detalhes sobre os felinos e os projetos para o futuro. Aprendi mais nessas duas horas do que em mais de 10 anos lendo tudo quanto é livro e artigo e assistindo centenas de documentários! Os animais sob os cuidados deles são tratados sempre que possível com homeopatia e remédios naturais (inclusive um dos pôneis e o leopardo-nebuloso, que foram desenganados por veterinários e estavam a ponto de serem sacrificados) e algo que eu acho que se não é único, é muito raro - um sistema de túneis por baixo dos habitats, assim se algum animal precisa ser mudado de um lugar para outro, não precisa ser anestesiado ou transportado em caixas, evitando stress! Não vi todos os gatos porque alguns não estavam a fim de posar e apesar do Jim tentar chamá-los, vocês sabem bem como são gatos, só ouvem quando querem... mas os que estavam de bom humor e vieram até as grade como o caracal e uma fêmea leopardo-das-neves, fui OBRIGADA a passar a mão, né? Eu também achei que seriam mais ariscos pois não estão acostumados com estranhos, mas fora os leopardos-de-Amur (que são mau humorados por natureza...) são todos muito tranquilos e relaxados.
 
Esse serval era um animal de estimação,
infelizmente teve as garras amputadas,
o que causou muitos problemas incluindo
crescimento anormal e artrite nas patas
O CST possui o maior número de leopardos-das-neves em cativeiro na Europa e o segundo no mundo, mas sempre tem o lado triste, pois a reprodução desses leopardos é complicada: a umidade relativa do ar onde os filhotes nascidos em cativeiro vão estar tem de ser muito bem controlada, especialmente em lugares quase ao nível do mar como é na Inglaterra, uma ilha! Apesar de todos os cuidados, eles recentemente perderam três filhotes recém nascidos porque faltou luz (para o ar condicionado e desumificador) por somente 3 horas, mas foi suficiente para os bebes desenvolverem pneumonia e não resistiram.

Essa organização também tem uma reserva na Argentina, na província de Misiones, onde além de protegerem a fauna e flora natural, fazem um trabalho de educação com a população que mora na área, ensinando sobre os grandes felinos, como conviver pacificamente e até ter lucros com a industria de turismo ecológico.

Como eu tirei muitas fotos, coloquei as melhores, e um pouco mais informações, nesses albums:
CST
WHF

Obviamente os dois santuários tem presença na internet, para quem quiser ler mais ou quem sabe até programar uma visita, vale muito a pena!
WHF www.whf.org.uk
Facebook www.facebook.com/pages/Wildlife-Heritage-Foundation-UK/177615625595537

CST www.catsurvivaltrust.org
Facebook www.facebook.com/thecatsurvivaltrust

Bea
twitter: @Foco_felino



7 comentarios:

Zanarde disse...

Oii...

Muito lindas as fotos....o pônei é uma graça....
Adorei saber que existe trabalhos tão lindos com esses grandes felinos.
Acho que vc deve ter ficado no paraíso. Se eu morasse no Reino Unido até que eu visitaria.

Bjsss

Laura disse...

Ai que lindos. meu sonho é conhecer um lugar destes!

João Víctor disse...

Acho que tem santuário de gatos aqui no Brasil também, só não sei onde. Afinal, o leão Ariel não é filho de chocadeira...
@ Bea: eu sinto muito por você ter sido cruelmente OBRIGADA a acariciar o leopardo-da-neves \o/ isso é um absurdo!!!!
O santuário da CST na Argentina é perto das cataratas do Iguaçu, então não é tão longe assim!

Teresa Vieira disse...

Adorei este blog. Vou ficar fã.

Bea disse...

Obrigada pelos comentarios!
Vanessa, um paraiso mesmo, os dois lugares! Melhor que isso so se eu pudesse visitar todo dia!

Laura, venha passar uma ferias aqui entao uai :)

Joao Victor, deve ter esse tipo de santuario no Brasil, é uma questao de fazer uma busca na internet!! Tambem achei um absurdo, imagina, por a mao num gato tao feio, e eu que deteeeeesto bichos rs!

Teresa, bem vinda ao mundo dos gatos de todos os tamanhos!

Laura disse...

Bea, não convida duas vezes que eu acabo indo, hein?? haha!

Heloisa disse...

Bea, MORRI de dó de vc ser OBRIGADA a passar a mão num leopardo das neves...ai, ai...
Se eu estivesse aí, eu te quebraria esse galho: faria isso no seu lugar, afinal, amigos são pra essas coisas!hehehehe...

Postar um comentário

Olá!
Estamos muito gratos por receber seu comentário aqui no Tudo Gato!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...