Então, você quer mesmo um gato com pedigree?

Dicas sobre a aquisição de gatos de raça pura


Para inaugurar a seção “Gatos de Raça” do Tudo Gato, eu sugeri ao Laurence que, antes de falar sobre raças, falássemos sobre como proceder, quando se deseja um gato de raça.

Foto Russell IIIig
Antes de mais nada, gostaria de deixar claro o que penso sobre o assunto. Não serei hipócrita a ponto de dizer que não gosto de gatos de raça pura, afinal, tenho 5 gatos com pedigree, que amo de paixão, mas sou totalmente sincera ao dizer que amo meus srds (sem raça definida) da mesma forma e, passada a “novidade” que é a chegada de um bichano de “sangue nobre” em nossas casas, dificilmente nos lembramos desse detalhe! A verdade é que quem realmente ama gatos, ama todos.

Um pedigree não torna um gato melhor que outro, um gato de raça pura só difere de um srd pelas características físicas e comportamentais típicas de sua raça, mais nada, afinal, ambos são gatos e é exatamente por isso que todos são especiais na vida da gente e merecem ser tratados com todo carinho.

A criação correta e responsável de gatos de raça não é a causa de existirem tantos animais abandonados pelas ruas, a principal causa é a ignorância das pessoas em relação à guarda responsável e a importância da castração. Eu, assim como a maioria das pessoas que conheço, que tem gatos de raça, também tem srds e os amam da mesma forma, sendo que algumas ainda trabalham junto a ONGs de proteção animal.

Uma coisa que poucas pessoas sabem é que criar corretamente animais não é uma atividade fácil, muito menos lucrativa! Quem lucra realmente com isso são os maus criadores, aqueles que vendem animais para qualquer pessoa e os entrega de qualquer jeito, inclusive, sem castrá-los!

Mais importante do que discriminar gatos de raça e seus donos é orientar as pessoas interessadas em adquirir um exemplar, para que o façam de forma consciente e responsável, através de criadores sérios.

Nunca fui criadora de animais, jamais seria, porque nunca quis e nem teria condições de ser. Sou desapegada em relação a milhares de coisas, não me apego a bens materiais, pessoas, etc, mas não consigo ser assim quando o assunto são os animais que estão sob minha responsabilidade. Se eu me atrevesse a criar animais, com certeza passaria noites e noites em claro, preocupada com o destino dos filhotes nascidos no meu gatil!
O único exemplar de raça pura que realmente desejei ter foi o Bengal, os demais eu aceitei depois de muita insistência do meu amigo, porque eu havia perdido uma srd por câncer e estava arrasada por causa disso.

Várias vezes, eu chorei pela minha srd, com meus gatos de raça pura no colo. Hoje, eu sou extremamente grata a meu amigo e a esses bichanos, porque eles não substituíram a gatinha que perdi, mas são tão bagunceiros e divertidos, que é impossível ficar muito tempo triste com eles por perto.

Eu acredito firmemente que quem não é capaz de amar da mesma forma um srd e um gato com pedigree não merece conviver com nenhum deles.

Aqui vão as dicas mais importantes para quem deseja adquirir um gato com pedigree:

Para quem nunca teve um gato, nem tem experiência com o manejo de felinos – eu sempre vou aconselhar que comece sua carreira de gateira(o), adotando um srd! Honestamente, há muitos srds tão bonitos (alguns até mais) quanto gatos descendentes das melhores linhagens.

A maioria dos srds são gatos resistentes, fáceis de cuidar, afetuosos e divertidos, uma excelente opção. Falo isso com conhecimento de causa, porque tenho um srd enorme que é o meu bichano mais fácil de cuidar! Dou banho, remédios, corto unhas e até escova os dentinhos dele, sem grandes problemas .Sem contar que é super saudável, tem 12 anos e nunca adoeceu.

Pesquise muito bem a raça que deseja adquirir – é importante que você tenha certeza de que a raça escolhida é adequada ao seu estilo de vida e de sua família e de que terá condições de cuidar do novo gatinho de forma adequada. Não me refiro exclusivamente a condições financeiras, mas também em relação ao tempo disponível para se dedicar aos cuidados com o novo membro da família. É importante também conhecer os principais problemas de saúde a que a raça está sujeita, quais são seus pontos fracos e como devem ser sua alimentação e os cuidados com a sua higiene.

Procure um criador sério - depois de se certificar de que poderá cuidar de forma adequada de um exemplar da raça escolhida, chegou a hora de encontrar um bom criador.

Orkut, Mercado Livre e similares não são lugares adequados para se adquirir filhotes! Eu confesso que as coisas mais absurdas, em relação à criação e venda de gatos de raça, eu vi no Orkut e em sites como o Mercado Livre.

Também nem pense na hipótese de adquirir um gatinho vendido em pet shop, esse tipo de estabelecimento não é adequado à venda de animais, especialmente de cães e gatos! Eu sei que é comum as pessoas ficarem com pena ao ver um filhote exposto e quererem levá-lo para casa, mas se isso acontecer com você, segure-se, não caia em tentação! Não alimente esse tipo de comércio, porque é desumano! Mesmo que você leve um filhote para casa, certo de que o estará ajudando, lembre-se de que outros ocuparão o lugar dele na vitrine. A venda estimula esse tipo de comércio!

Há uma diferença enorme entre a venda de um exemplar por um criador sério e responsável e a venda de um exemplar numa pet shop

A forma correta de se adquirir um gato é através de um criador bem-conceituado, que possua gatil registrado em clubes ou entidades felinas do Brasil e/ou do exterior.

Na cidade de São Paulo, existe a lei nº 14.483, de 16 de julho de 2007, do atual deputado federal Roberto Tripoli, que regulamenta a criação e a venda de animais de companhia. O texto completo está no link abaixo:
http://www.robertotripoli.com.br/wp-content/uploads/2008/11/lei_14483.pdf

Infelizmente, apesar de já ser um avanço, essa lei não conseguiu conter a criação de fundo de quintal. isso só acabará quando as pessoas deixarem de comprar animais nascidos dessas criações.

Uma boa opção para encontrar bons criadores é através da recomendação de pessoas que já possuam exemplares da raça desejada ou mesmo da revista Pulo Do Gato, que é a única especializada em felinos, aqui no Brasil.

Preste atenção nos criadores que escrevem ou respondem questões nas matérias sobre raças, publicadas na revista. Na seção de classificados, no final da revista, há endereços de bons gatis, mas tem algumas “arapucas”,também. Lembre-se de que luxo não garante idoneidade de gatil ou criador e nem sempre o fato de estar localizado num bairro nobre torna o gatil confiável.

Depois de encontrar o nome de um gatil que crie a raça que você pretende adquirir, pesquise sobre ele nos fóruns sobre gatos, tente obter referências de pessoas que já adquiriram exemplares dele.

Quando entrar em contato com o criador, pergunte tudo sobre a raça e sobre sua criação – geralmente, criadores que amam a raça que criam não se importam em falar sobre ela e esclarecer todas as dúvidas de futuros proprietários. Isso é até um prazer para eles!

Outra detalhe importante é que, além de esclarecer suas dúvidas, um criador responsável vai se interessar em saber como é sua casa, se é telada e segura para receber um gatinho, se você possui outros animais, se estes convivem bem com outros gatos, enfim, não se aborreça, caso ele lhe faça essas perguntas, pois é sinal de que se preocupa com o tipo de casa para onde um dos seus filhotes irá, preocupa-se com seu bem-estar. Aborreça-se com quem não pergunta nada e não se interessa em saber de nada, a não ser como deseja pagar pelo gato.

Um criador realmente sério se recusa a vender um exemplar, caso perceba que a pessoa interessada não será capaz de cuidar corretamente dele.

Em relação ao documento do gato (pedigree ou registro) – é bom esclarecer que o preço desses documentos, emitidos por clubes ou entidades sérias da gatofilia, é bem modesto. Se o criador oferecer um bom desconto, para que você adquira o filhote sem pedigree, provavelmente, ele não possui gatil registrado. Não aceite.

Através do pedigree, é possível conhecer a ascendência do filhote, a maioria dos pedigrees mostra quatro gerações do exemplar. Provavelmente, você jamais usará o registro (ou o pedigree) para algo, mas mesmo assim, você tem direito de recebê-lo.

A escolha do filhote – os exemplares são divididos em três tipos: pets (gatos de companhia), breeder (destinados à reprodução, geralmente são aqueles que possuem características que se deseja transmitir aos filhotes) e show (gatos com o padrão mais próximo possível ao exigido pela raça, é o que costuma participar de exposições).

O preço de um exemplar varia de acordo com a classificação acima, sendo que os gatos com padrão pet tem preços mais acessíveis. Um gato breeder e/ou show costuma custar bem mais caro e geralmente só é vendido para criadores.

Diferente do que ocorre com cães de raça pura, gatos castrados também podem participar de exposições e são chamados de Alter, portanto, se você quiser levar seu gato a uma exposição, poderá fazer isso mesmo ele sendo castrado.

É importante deixar claro que nem todos os gatos premiados em exposições pertencem aos melhores criadores. Já vi criadores de quem eu não teria coragem de adquirir nem uma formiga de estimação, terem seus gatos premiados! Muitos criadores levam seus gatos a exposições, porque isso funciona como propaganda para seus gatis, mas nem sempre a fama corresponde à qualidade do trabalho feito com a criação e prêmios não devem ser usados como critério na hora de escolher um bom criador.

Nome dos exemplares, conforme constam em documentos – geralmente, o nome de um exemplar pet é formado da seguinte forma:
nome do gatil onde o exemplar nasceu + nome do exemplar
Quando um exemplar é adquirido de outro gatil, para ser incorporado ao plantel como breeder, o nome fica assim:
nome do gatil onde o exemplar nasceu + nome do exemplar + nome do gatil que o adquiriu.


Abraços,
Heloísa


Aguarde a 2ª parte na próxima semana!



13 comentarios:

Bea disse...

Otima coluna de estreia de quem sabe MUITISSIMO bem do que esta falando! Bem vinda :) (e a foto dos sphynx foi pra me matar de vez ne?)

Zanarde disse...

Adoreiii....As fotos quase fizeram voar na minha gata para apertar (ela nem estava perto)
Sinceramente não vejo diferença entre raça e SRD, só por ser gato eu já amo...
Muito boa essa matéria, faz com que as pessoas aprendam mais sobre raças e como adquiri-las.
Você escreve muito bem..seja bem vinda...
bjsss
PS.: estou ansiosa para ver mais....

Madam Maxwell disse...

Bem vinda!

Realmente, gateiro q é gateiro tá pouco se lixando se seu "bebê" ou outros tem raça ou não. É gato? Ficamos felizes e babonas(ões)do mesmo jeito até se ver algum feral corre p/ pegar (a louca)
parabéns pela estréia!

P.S. Bea, eu sou outra fã dos peladões e fiquei babando na foto deles tb XD

Saninha disse...

Adorei sua estréia aqui...a matéria escrita lindamente e cheia de amor nas entrelinhas. Quem ama gatos consegue ver isso.
Queremos a parte 2 =D

Laura disse...

Seja bem vinda ao time, Heloisa!

Adorei o post! Só não curti os Sphynx (tadinhos, são mto feinhos..rs)

Bjs

Heloisa disse...

Bea, obrigada pelas boas vindas, mas as fotos foram escolhidas pelo lauesg!Tudo bem que eu aprovei a escolha,mas o crédito não é meu!hehehe..

Obrigada,Zanarde!Pelas boas vindas e pelo elogio!Tudo que escrevi no post é absolutamente sincero,gato é gato,não importa a procedência.A Bea me conhece já há alguns anos e ela sabe que é isso que eu penso.
Eu pretendo apresentar raças como curiosidade e também contando o que nenhum criador se atreve a dizer,especialmente os pontos fracos em relação à saúde e comportamento.
Quando alguém quer realmente comprar um gato,se está mesmo decidido a fazer isso,ninguém é capaz de lhe impedir,mas eu espero contribuir para que faça isso de forma correta.Sei que muuuita gente vai ficar muuuito brava com a segunda parte do texto,mas... com sinceridade?Tô nem aí!:D

Bjs!

Madam Maxwell,obrigada pelas boas vindas!A diferença (com pedigree X srd) existe até que eles entrem na vida da gente,depois que estão na casa e no coração da gente,a gente nem se lembra de onde vieram!

Soninha...e eu adorei seu comentário!Vc acertou,eu sou mesmo apaixonada por gatos de todos os tipos,tamanhos e nunca precisei saber a procedência de algum deles, para amá-lo!


Laura,a primeira vez que vi um Sphynx,eu achei um gatinho esquisitinho,feinho...É sempre assim com o que é novidade,mas depois a gente olha mais uma vez...e mais outra...e mais outra...até que se convence que ele é gato e,só por isso,já é lindo, afinal,não existe gato feio!;)
Obrigada pelas boas vindas!

Bjs!

Zanarde disse...

oi,
acho o Sphynx lindo de morrer...não acho feio e acho q nunca achei...soh tenho vontade de morder.....(no bom sentido)
Boas vindas novamente....

Bea disse...

Laura, eu GARANTO que voce vai se apaixonar perdidamente pelo Sphynx em segundos se voce tiver a oportunidade de acariciar um! Sao uns bichos magicos... :)

Sybylla disse...

Tive um Persa, falecido em 2007, que era um amorzinho. A dificuldade dele era em comer, por causa da cara chata e ele lacrimejava demais. Mas o amor é o mesmo seja de raça, seja vira-lata, não importa. Eles são lindos e amáveis do mesmo jeito.

Gostei do novo visual!

Adriana disse...

Bombando, hein, Helo!!!
Ah, como eu gosto de ver quando você fala dos SRDs, eles são tdb, os melhores, mais amigos e mais queridos mesmo!!

Adriana, Miro, Andrezinho e Totó

Anônimo disse...

aiai se eu pego essas fofurinhas o mais feinho é o de pele mais se eu tivesse um eu o trataria igual um rei

Anônimo disse...

Classificação Fiscal

jaider junior disse...

quero compra um desses gatos cade o preço.??????????????????????????

Postar um comentário

Olá!
Estamos muito gratos por receber seu comentário aqui no Tudo Gato!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...