Curiosidade/Comportamento

Oi pessoal!
Finalmente o final!
Essa é a última parte da matéria sobre gatos e bebês. Minha gratidão é para a minha amiga Heloísa que, com muito boa vontade, traduziu para nós esse texto
imenso! rs.
Nessa última parte há o texto traduzido e o texto com observações dela. Essas observações de complemento estão em vermelho-escuro, não necessariamente por sinal de alerta, mais pra combinar com o blog! rsrsrs...


Obrigado por acompanharem com tão boa participação e paciência!


Gatos e bebês maiores

O senso comum em relação a cuidados com higiene e supervisão ainda se aplicam, quando o bebê começa a se movimentar pela casa.

Quando o bebê atinge o estágio em que começa a engatinhar, você precisa manter a comida do gato e sua bandeja sanitária fora do seu alcance. Assegure-se de que o gato consegue alcançar sua comida, mas o bebê não. Estabeleça uma área de alimentação para o gato, fora do alcance do bebê, como por exemplo, uma mesa na área de serviço, caso contrário o bebê poderá começar a se servir da comida do gato. Se o bebê realmente conseguir provar um pouco da ração do gato, não entre em pânico, apenas se assegure que a vasilha com comida para gato seja colocada fora do alcance do bebê da próxima vez. No caso de você entrar em pânico pelo fato de seu filho ter comido a comida do seu bichano, é bom que saiba que muitas rações para gatos são testadas por humanos, sem causar nenhum tipo de doença. Geralmente os pais preocupados acabam sofrendo mais que as crianças, quando isso acontece.

Crianças e bandejas sanitárias NÃO combinam! Se você puder colocar a bandeja em um ambiente acessível apenas ao gato através de um "cat flap", é o ideal. Da mesma forma, se seu bebê já começou a usar o "troninho", não permita que o gato tenha acesso a ele, porque mesmo um gato castrado poderá tentar marcar território com jatos de urina para encobrir o cheiro do bebê e uma vez que o gato adquire esse hábito, é mais difícil fazê-lo parar.

Quando seu bebê se tornar consciente da presença do gato, comece a ensiná-lo como interagir gentilmente com o bichano. Bebês precisam aprender que não podem puxar um gato como se ele fosse um brinquedo, agarrar sua cauda como se fosse um puxador ou mesmo perturbar o gato enquanto ele dorme (especialmente se o gato ouve mal e é propenso a se assustar).

A maioria dos gatos prefere se retirar para um local seguro, do que morder ou arranhar o "filhote" de seu dono! Providencie um "refúgio" para o gato, que ele possa alcançar facilmente, mas que esteja fora do alcance do bebê. Ensine a criança a interpretar o que o gato "diz", isso pode ser bem divertido!(gato "soprando e com rabo balançando significa "me deixe em paz", mas gato ronronando e dando "cabeçadas" significa "continue, eu gosto disso!"

Desde que a criança aprenda a respeitar o gato e não perturbá-lo, eles podem se dar muito bem juntos! Assegure-se de que a criança lave as mãos antes das refeições, afinal, há um ditado que diz "o gato parece limpo, mas está coberto de saliva de gato".

Se o gato arranhar a criança, por ela tê-lo incomodado ou maltratado, lembre-se de que a "culpa' não é do gato! Trate do machucado e ensine a criança a não maltratá-lo ou perturbá-lo quando ele tenta se afastar.

Uma amizade para a vida toda

Um gato e uma criança, quando apresentados cuidadosamente e ensinados a se respeitarem mutuamente, resultarão em um gato feliz e uma criança bem ajustada e permanecerão como companheiros por muitos anos.

Nunca se esqueça de que o gato é parte da família, não pediu para ser levado para sua casa, portanto NUNCA desista dele! No entanto, o gato também sente dor, medo, fome e precisa de descanso, além de cuidados. Ensine SEU FILHO a respeitar a natureza felina!
Com certeza, mais tarde ele a agradecerá por isso!Gatos são companheiros incríveis para a vida toda!

O texto original está no site: http://www.messybeast.com/cat_baby.htm
O texto é muito longo, sendo assim, quando fiz a tradução, minha preocupação principal foi incluir os pontos que considero realmente úteis, descartando o restante.
No site, eles mencionam diversos mitos e lendas que são espalhados por pessoas que, com certeza, NUNCA tiveram um gato! Preferi nem me ater a esses detalhes, porque não passam de LENDAS, muitas das quais nós já ouvimos falar alguma vez.
Na parte em que o autor menciona que houve UM caso onde a criança teve problema por ter aspirado pêlo de gato, é bom que fique claro que NÃO existem relatos científicos que comprovem que isso tenha realmente ocorrido alguma vez!
A convivência entre gato/gestante e gato/bebê é perfeitamente possível e, com certeza, bastante agradável!
Mesmo quando a criança tem algum tipo de alergia respiratória, há muitos meios de contornar a situação de forma a manter o gato na casa e, ao mesmo tempo, manter o problema alérgico sob controle! É claro que isso requer um pouco mais de cuidados, mas que com o tempo são incorporados à rotina da casa, sem transtorno algum.
Usar “alergia” do bebê como desculpa para se livrar de um gato é, no mínimo, falta de consciência e de boa-vontade! Para não dizer preguiça... Quando há amor ao animal, sempre se arranja um jeito de conciliar tudo! NÃO desista do seu bichano, porque ele pode se tornar um dos melhores companheiros do seu filho!

Heloisa - Bungalow Bengals
bengals@bungalowbengals.com

Espero que todos tenham gostado e possam usar isso algum dia!

Grande abraço a todos!
Lauesg



21 comentarios:

Miriam disse...

AMEI suas postagens sobre Gatos e Bebês, até porque tenho uma filha de dois anos e meio cuja maior companheira é Nina, a persa de 4 anos. Nunca tive problemas em relação ao convívio das duas, ao contrário, é com a Nina que Nanda se queixa e pede "socolo". Ás vezes me preucupo quando vejo os "calorosos" abraços das duas, mas me tranquilizo quando percebo que após ser solta a gata fica colada e se esfregando como quem quer mais (algum tipo de masoquismo??). Além do mais a gata, pelo seu próprio temperamento, não vive num estágio de "carência total" o que dá as duas a oportunidade de brincar e parar, ótimo para uma criança tão pequena que não se concentra muito tempo em uma atividade.
São as minhas meninas!!
Um grande abraço!

Tamara L. Allgäuer de Melo. disse...

MEU DEUS, QUANTO CARINHO!!!
ESSE BLOG É DEMAIS!!!
O FUNDO ESTÁ UM LUXO!!
OS DESENHOS... MARAVILHOSOS!!
E AS INFORMAÇÕES... IMPERDÍVEIS!!
PARABÉNS!!
ABRAÇÃO.
TAMARA - CAFÉ COM GATO.

Denise disse...

Olá!
Gostei muuuuitooo do texto (li as quatro partes) e achei algumas coisas bem divertidas, embora não sejam óbvias pra quem nã tem gatos. Eu acho que se desfazer de um bichinho por qq motivo é injustificável, afinal quando adotamos assumimos um compromisso, não é?
Parabéns pelo blog e pelas ilustrações (mto legais). Gostaria de postar, um dia, no meu blog a oração do gato, vou dar os créditos, claro. Será que posso?
Bjs

Lauesg disse...

Miriam: Que coisa boa tê-la conosco! Deve ser super legal mesmo ver os bichanos e filhos se dando bem! Mal posso esperar pra viver tudo isso! :^D Muito obrigado pela visita e comentários!

Tamara: É tudo para TODOS! rs... Valeu o elogio pelo fundo! rs... Quer dizer que temos que fazer o nosso "papel"! rsrs... saca?! rsrs... Obrigado a você pelo carinho e visitas frequentes que alegram esse espaço de gatinhos! rs

Denise: Com certeza os gateiros e gateiras já têm essas informações, estão aqui pra relembrarmos! Mas espero de verdade é que esses textos apareçam em pesquisas na net para informar os "marinheiros de primeira viagem" que buscam, com toda razão, auxílio sobre essas questões.
Fique A VONTADE pra usar a oração do gato L!nk! rsrs... Sem problemas!

Grande abraço a todos!

Claudinha disse...

Oi Laurence!
Ficou ótimo o background! o L!ink todo pensativo com a caneta na patinha... rs

Ah, pra quem tem monitor widescren, falta um pedacinho do fundo na lateral... será que dá pra ampliar? é uma ideia.

Vc "fez" o papel meio amassado?????

Obrigada pela torcida!

Marianne disse...

Também ADOREI esse fundo com o papel amassado e o gatinho pensando. Você é criativo pacas, hein? Parabéns, rapaz!

Sobre o texto, ele realmente dá informações essenciais a quem não sabe bem o que fazer com o gato com a chegada de um bebê. Espero muitíssimo que ele ajude a diminuir a ignorância das pessoas, passada de geração a geração.

Adorei a parte em que diz que os pais devem brigar com a criança e não com o gato se o gato arranhá-la por alguma imbecilidade dela. Eu contei no meu blog um caso desses com a minha gata Neguinha, ocorrido quando eu tinha quatro anos. Meus pais foram ótimos!

Bjos!

marisa licursi disse...

Helô é uma beleza de gateira!
Salve, salve, Helô!

Muito legal!

beijo
Marisa

Silvia disse...

Nossa... Adorei o texto!!!
e adorei o fundo novo do blog! lindo!
Bjocas!

Angelique disse...

Parabéns pela postagem e pelo artigo escolhido. Esperei pelo final e já distribui para vários casais amigos que amam gatos e estão reticentes em tê-los em casa devido a vinda do bebê e também àqueles que tinham gatos e devido à gravidez acabaram deixando o felino amado com alguém da familia e morrem de saudades de seus amigos.

Um forte abraço
Angelique
www.aquisoentramgatos.blogspot.com

Lauesg disse...

Marianne: Fico feliz por ter gostado! Muito obrigado! Espero que todo esse texto tenha um excelente resultado positivo! rs.

Marisa: A Helô é ótima mesmo!!! Não só como gateira, mas como amiga de verdade também!
Muito obrigado! :^D

Silvia: Valeu! Que bom que gostou!

Angelique: É maravilhoso saber que toda essa informação será útil!
Ó... Adorei seu blog! Já está na lista "blogateiros" do Tudo Gato!

Abraços a todos!

Andréa disse...

Oi,
Parabéns pela idéia de tentar desmistirficar algumas lendas!
Não consigo imaginar a possibilidade de ficar sem minhas duas gatas pela chegada de nosso bebê!
Obrigada pela dicas e parabéns pelo blog!
Abraços
Andréa Busnello

Heloisa disse...

A Marisa é uma beleza de gateira e uma beleza de pessoa!;-)

Lauesg disse...

Andréa: Fico feliz por ter gostado! Obrigado pelo elogio!

Heloísa: É ótimo ver seu comentário por aqui! :^D Que alegria!
Muito obrigado por tudo!

Abraços a todos!

Pauli disse...

Olá! Acabei de ler as quatro partes e amei. Tenho certeza que é totalmente possível mantermos a harmonia numa casa com bebês e gatos, mesmo que os outros fiquem falando o contrário.
Muito obrigada pelas dicas, precisamos delas.
Bjos

Aline Sabino disse...

Amei!
Foi muito bom tem encontrado este texto hoje!
Em 2010, quero adotar 2 gatinhos e, para o fim do ano, espero estar com um bebê encomendado.
Acho que vou pirar com tantas coisas fofas pra eu cuidar (ainda tem o meu marido!), mas vai ser legal demais!
Valeu!

Lauesg disse...

Pauli, Que bom que o conteúdo foi proveitoso! :^)

Aline, estou muito feliz em saber! Só programe bem o baby humano para não ter gatos bebês na mesma época! As vezes bebêchanos fazem muito barulho e podem acordar seu filho(a) de madrugada. Pode ter certeza de que não vai gostar disso. Digo por experiência própria! rsrs...

Abraços gente!
Lauesg

Anônimo disse...

Adorei tb!!! Estava precisando apenas de um empurrãozinho para não fazer uma besteira... Pois são tantas as pessoas que dão palpite errado né??? Já estou com 6 meses de gestaçao e estava enrolando pra não me desfazer do meu gatinho persa que vai fazer um ano em agosto!!! Sei, que não será tão fácil e me preucupo muito com os pêlos que estão por toda a casa... Por mim, não há problema algum e acho que não terá para o bebê!!!!!
Bjussss
Layla

Lauesg disse...

Layla, Não precisa se desfazer do bichano, basta seguir as dicas dos posts e intensificar ainda mais a limpeza da casa. Pois ainda não sabe se o bebê nascerá com alguma alergia aos pêlos. Melhor garantir, já que os pêlos também levam algumas bactérias de onde os gatos se deitam.

Abraços!
Lauesg

CRISTIANE disse...

OLÁ TENHO UMA BEBÊ HUMANA DE 3 MESES E GOSTARIA DE ADOTAR UMA SIAMÊSA... PQ A MINHA MORREU FAZ UM MÊS, ELA TAVA C 16 ANOS E SINTO MTA FALTA DELA E DE UM GATO... ADORO OS FELINOS... ALGUÉM PODE ME DAR UMA OPINIÃO SE A RELAÇÃO DE AMBAS PODE SER SAUDÁVEL E SEM PERIGO?

Anônimo disse...

Linda matéria... apesar do tempo q foi postada, é uma linda lição de amor e carinho!
Amo minha gata que peguei na rua pra arranjar um dono e acabei me apaixonando. Hoje sou a mãe, a dona, tudo de bom q posso oferecer a ela.
Estou gestante, mas nunca nem pensei na hipótese de me desfazer dela, pelo contrário quero criar ela e meu bebê juntinhos! Com muito cuidado e amor! Ela é muito carinhosa. Tenho certeza que vai amar e cuidar do meu bebê com aquele instinto de mãe.

Parabéns pelo belo trabalho! =)

Bianca. Rio de Janeiro. Baixada Fluminense.

Kaa disse...

Tenho dois felinos muito amados de quase 3 anos e estou grávida de 6 meses!
Com certeza esses 4 posts ajudarão muito na boa convivência desta família que está aumentando!
Muito Obrigada!
Bjs

Postar um comentário

Olá!
Estamos muito gratos por receber seu comentário aqui no Tudo Gato!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...