Trilogia Jogos Vorazes - Suzanne Collins


Aproveitando o embalo do Gato Geek de abril, aproveito para trazer a resenha da Trillogia de Sucesso: Jogos Vorazes, Em Chamas e A Esperança, sob o ponto de vista, digamos, felino! rs


No primeiro livro da série conhecemos  Katniss Everdeen, uma jovem de 16 anos que vive no miserável Distrito 12. Isso em um algum lugar do futuro, onde os Estados Unidos já não existem mais, em seu lugar um país chamado Panem, dividido em 12 distritos, nos quais os moradores trabalham e quase morrem de fome para servir à Capital.

Os moradores de Panem são, em sua maioria, pobres, com exceção da Capital e alguns poucos distritos mais ricos, e todos vivem em algo que podemos chamar de ditadura, pois eles têm que viver de acordo com as regras e preceitos da Capital e quem se insurgir contra ela será severamente punido.

Para demonstrar seu poder, a Capital institui anualmente os Jogos Vorazes, onde 2 jovens de 12 a 18 anos  de cada distrito são sorteados para participarem desta disputa sangrenta, onde apenas um poderá ser o vencedor, se sobreviver.

É nesse mundo bizarro, mas ao mesmo tempo tão bem descrito por Suzanne que se torna crível, que a história se desenrola.

Katniss, nossa protagonista, sustenta sua família caçando (escondido da Capital, pois isso é proibido), ela é apaixonada pela sua irmã mais nova, Prim, que tem apenas 12 anos, a qual, por sua vez, é apaixonada pelo seu gato Buttercup.

No dia da colheita (onde sorteiam os jovens que irão para os Jogos), Prim é sorteada e Katniss se voluntaria para ir em seu lugar. Junto com ela, Peeta Mellark é o menino que é sorteado para participar dos Jogos.

Os Jogos Vorazes são assistidos por toda população de Panm, uma espécie de Big Brother, onde, porém, os competidores devem matar uns aos outros, até que somente um sobreviva, o vencedor.

A história, para falar a verdade, começa mesmo a partir daí. Podemos observar os sentimentos antagônicos de Katniss em relação a Peeta, sua força para sobreviver e passamos por momentos indescritíveis junto com ela, durante os Jogos.

Apesar de parecer que a história é uma "viagem" muito grande, a narrativa de Suzanne é tão boa que nos vemos vivendo naquele mundo e nada do que ela conta parece bizarro, mas sim assustador.

O livro é eletrizante, muito bem escrito, impossível de largar. Amei os personagens, Katniss é  a melhor protagonista que já vi e Peeta é um fofo. Adorei ele.

Apesar de ter um toque de romance, não espere muitas cenas melosas. Jogos Vorazes não é um livro sobre amor. É um livro sobre luta, sobrevivência, garra, rebeldia e, porque não, política.


Já no segundo livro da série: "Em Chamas", Katniss desafiou a Capital ao ultrapassar todas as regras dos Jogos Vorazes e fazer com que ela e Peeta fossem campeões. Presidente Snow está ao seu encalço, esperando apenas o momento certo para agir. Entretanto, nem em seus maiores pesadelos Katniss imaginou que estaria de volta à arena.

Katniss começa o livro mostrando algumas alterações em sua personalidade, decorrentes dos Jogos. Ela está mais triste e muito, muito confusa, principalmente com relação ao que sente por Peeta e Gale.

Peeta  continua um príncipe encantado e cada vez mais apaixonado por Katniss.

Haymitch continua com sua personalidade excêntrica, bêbada e engraçada.

O livro é dividido em três partes, a primeira é mais depressiva e um pouco romântica, a segunda deixa a gente de coração apertado e acelerado e a última... nos deixa sem fôlego do começo ao fim.

O último livro da série é "A Esperança". É aí que Buttercup, o gatinho de Prim, irmã de Katniss, tem, na minha opinião, um papel importante!


Em "A Esperança" Katniss está no Distrito 13, sem Peeta, que havia sido sequestrado pela Capital em "Em Chamas" e extremamente confusa com relação à revolução.

Nossa heroína deve decidir se será O Tordo da revolução, ou seja, seu símbolo. Além disso, Katniss deve aprender a conviver com o que restou dela, após duas idas à arena dos Jogos Vorazes. Afinal, depois de tudo isso, Katniss, definitivamente, não é mais a mesma e, tampouco poderia ser diferente.

No meio da revolução, Katniss se arrisca à retornar ao Distrito 12 para resgatar Buttercup, o gatinho de Prim. Katniss nunca gostou muito do gato, mas o resgata em consideração à sua irmã. Em meio ao maior caos que você pode imaginar, Buttercup acaba por, aos poucos, fazer amizade com Katniss e ela, por sua vez, se espelha naqueles comportamentos típicos de gato, como brincar ensandecido atrás de uma facho de luz - enquanto o mundo está de pernas para o ar -  para conseguir esquecer um pouco todo o horror que a cerca.

E de certa forma, acredito que é um pouco disso que nossos gatos fazem com a gente... Quando estamos chateados, tristes, cansados... eles conseguem nos fazer esquecer de tudo ao balançar uma cordinha para que eles brinquem com a gente, ou quado se deitam no nosso colo, com aquele gostoso ronronar...

Foi assim que Buttercup ajudou, e muito, Katniss nos seus piores momentos...

A Trilogia Jogos Vorazes é leitura obrigatória. Me faltam paralavras para explicar como os livros são bons! E a presença de Buttercup só os deixa ainda melhores!



Laura
www.gatosnabiblioteca.blogspot.com
@GatosBiblioteca



3 comentarios:

Deborah Ramos disse...

Olha que chique que ficou o TG!! (só vi agora)

Marcelo Samegima disse...

Ola Laura, muito bom este post. Me fale se o filme é fiel ao livro, ou não passa de um resumo bobo.
Baixada santista no tudogato rsrsrss
Tchau, parabéns!!!!!!!!!!!!!

Laura disse...

Oi Marcelo!

O filme é bem fiel sim! Lógico, tem algumas pequenas coisas diferentes, mas é um bom filme, uma boa adaptação e vale a pena!

Postar um comentário

Olá!
Estamos muito gratos por receber seu comentário aqui no Tudo Gato!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...