Briga de gatos

A agressão de causa territorialista é muito comum entre gatos que têm uma vida semi-domiciliar e aqueles que vivem em casas com muitos gatos. Eu mesma tenho que “rebolar” para fazer do meu lar habitável para mim e meus quatro gatos.

foto: giane portal / fofurasfelinas

Moro em um apartamento de dois quartos, sala, cozinha e varanda, e cada cômodo desses é um território diferente para eles. Eles são o Panda, a Sushi, a Maria Gadú e a AK47.

Todos os meus gatos são castrados, então o macho não costuma bater nas meninas por causa do território. Ele briga com os gatos dos vizinhos que rondam o prédio. O Panda e a Sushi não costumam brigar entre si, pois eles são irmãos e foram adotados juntos quando filhotes. Às vezes o Panda e a Gadú se pegam, a gente acha que estão brincando mas eles rolam pelo chão, se mordem.

Quando o gato tem uma interação amigável com outro eles dormem juntos, se lambem, se esfregam, o que é bem longe do que o que eu vejo aqui em casa. A Sushi geralmente não acorda nem para brigar então ela se dá bem com todos. Mas o meu maior problema é a AK47. Ela é extremamente medrosa, sempre fica no alto, longe dos outros, afastada. Quando ela desce para o quintal, ela sai do meu quarto e atravessa a casa correndo. Na volta é do mesmo jeito. Ela não tem outro território na casa que não o meu quarto. Para deixar tudo organizado para que ela fique à vontade, eu coloquei uma caixa de areia, comedouro e bebedouro no meu quarto e, apesar de ser visitado pelos outros gatos, ela não parece se importar muito. Passa o dia inteiro na minha cama, se eu deixo uma gaveta aberta ela tira tudo de dentro, se eu deixo a sapateira aberta ela coloca todos os meus chinelos em cima da cama para brincar e até deixa a minha cadela deitar na cama com ela, mas com uma certa distância.


Infelizmente, nem toda dinâmica entre gatos consegue ser bem controlada, mas vivendo no limite, como é aqui em casa e, por vezes, nós recebemos gatos vítimas de agressões.

A mordida do gato apresenta uma característica inerente à espécie, que gera problemas sérios. Pelo fato de serem dentes finos, eles agem como agulhas, fazendo uma ferida pequena mas profunda. A pele tende a cicatrizar rapidamente, fechando a ferida e deixando as bactérias implantadas lá no fundo terem um ambiente ótimo para crescimento, com alimento, boa temperatura e umidade. Quando a mordida se dá em regiões aonde a pele é mais solta, como pescoço, dorso, abdômen, cabeça, pode desenvolver um abcesso, observando um inchaço e, se não for cirurgicamente puncionado e drenado, ele vai formar uma fístula e drenar, e aí sim chega o proprietário em completo desespero às vias de um AVC no consultório.





Quando a mordida se dá em regiões onde a pele é mais aderida à musculatura, como na extremidade dos membros, pode não se desenvolver um abscesso, e sim uma celulite, que é uma inflamação séria da células adiposas.


Os tratamentos incluem remoção do abscesso e uso de antibióticos.

Os locais mais frequentemente atingidos estão descritos na figura abaixo:





Quando você tiver problemas de agressões entre gatos em casa, os leve ao veterinário. Este vai descartar qualquer doença que possa estar levando à mudança de comportamento. Sendo descartada uma doença primária, então deve-se contar toda a dinâmica dentro de casa, o que acontece antes de cada briga, qual é a reação do proprietário e outros membros da casa, como é a disposição de caixas de areia, ração e água para os animais, se são castrados, se estão no cio, etc. Apenas simples mudanças no manejo podem ajudar os animais a minimizar esses encontros agressivos entre eles, por exemplo:

- Distribuição dos recursos de água, comida e banheiro nos territórios estabelecidos.

- Não forçar um encontro entre os gatos de qualquer jeito. Esse encontro deve ser tranquilo, supervisionado, deixando-os a uma certa distância segura, podem ser utilizados ferormônios sintéticos (Feliway), podem ser utilizados petiscos para congratular cada interação positiva.


- Colocar uma coleira com um sino no gato agressivo, assim a vítima terá tempo de se esconder ou fugir antes da briga (esse artifício pode funcionar apenas temporariamente).


- Dê atenção a todos os gatos, eles precisam disso. Todos os gatos precisam de diversão, oportunidade de caça ou exploração do ambiente, quando o gato é privado dessas coisas ele fica frustrado.


Se você tem o profundo desejo de ter uma casa cheia de gatos, adote fêmeas parentes ou filhotes em pares para prevenir brigas futuras. Infelizmente, a doação de um dos gatos pode ser necessária, mas vários artifícios podem ser utilizados antes da adoção de uma medida drástica.

É isso aí gente, existem muitas formas de prevenir e remediar interações agressivas, converse com o seu veterinário.




 Alice Ribeiro
diarioveterinaria.blogspot.com
www.formspring.me/alicevet
twitter: @alicevet


 
Fonte: O Paciente Felino. 4ª Edição



15 comentarios:

Anônimo disse...

oi,alice!!! adoro o blog. visito vcs todos os dias. eu tenho duas bigodudas aqui em casa, rita e belladona. elas sao otimas e tem temperamentos completamente diferentes. estive por aqui me aconselhando qdo rita entrou em nossas vidas,foi uma semana bastante estressante pra mim e pra bell, mas agora ja estamos juntas e felizes ha um ano. elas inclusive brigam as vezes, a regiao q mais aparece machucada sao os olhos. mas o q me traz aqui novamente e uma curiosidade. a gata mais velha, belladona, adquiriu um habito terrivel: come as nossas camisetas, na axila. eu achava q ela so mordia, roia, nao sei a palavra, ate q ela vomitou os paetes de uma blusa q eu havia usado no carnaval. nao sei mais o q fazer. tentamos deixar as camisetas fora do alcance, mas se por acaso alguma cai pelo chao e nao nos damos conta, e camiseta roida na certa. começo a me preocupar com a saude da bichana. sera q poderia me ajudar? desculpe pelo pergaminho, mas precisava te colocar a pardo meu drama! super obrigada, desde ja.
Sabrina Abreu RJ

ESMERALDA disse...

O meu gato apenas dá uns fortes tapas na gatinha se ela resolver ir dormir a noite comigo, nossa ele bate nela até ela ir procurar outro lugar para dormir, mas se ela não invade os dois até que se dão bem, acho engraçado quando é ela que começa a luta....rs...rs....mas nada tão grave.

Muito interessante o Post!!!

Boa Páscoa a todos com muitos ronrons

Edna Nogueira disse...

Tenho três gatinhos em casa. Quando a terceira gatinha foi adotada a Fiona ficou bastante agressiva, mas aos poucos ela foi melhorando. A erva do gato foi o que a ajudou acalmá-la.
Continuamos dando o carinho de sempre aos três. Quando há aqueles momentos (fight) de brincadeira entre os três, procuramos sempre estar por perto para que algo não saia do controle.
http://notascompartilhadas.com/

Rafaela - Tudo em Foco disse...

Briga de gatos é algo muito sério mesmo. O que eu acho engraçado é que um gato castrado pode ser mais violento do que um que não é castrado! Eu já presenciei a situação e não há o que fazer, porque o gato castrado é muito violento. No entanto, acho que, em algumas situações, o melhor é deixar os animais separados mesmo, evitando até encontros casuais.

Anônimo disse...


Boa noite.

Estou passando por um problema muito dificil. Tenho dois gatos, sendo uma macho e uma fêmea. Ambos adotados na rua.

A femea chegou primeiro e era castrada. O macho veio para o nosso lar ainda filhote e não era castrado. Hoje já é um macho adulto.

Ambos conviviam harmonicamente no mesmo ambiente, até eu me mudar para a casa dos meus pais.

Com a chegada no novo lar. O macho começou a atacar com muita agressividade a femea.

Levei ele num Veterinario que imediatamente o castrou. Me informando que até me um mês a testosterona iria circular pelo organismo dele e que ainda assim ele poderia continuar agressivo. Tem uma semana que ele foi castrado. Essa informação procede? Existe alguma coisa que eu possa fazer para amenizar essa rivalidade?

Aonde eu posso encontra-la para uma consulta?

Me ajude por favor?

Michelle Alonso

Anônimo disse...

Olá, estou desesperada. Tem um gato que há cerca de 2 anos ronda a minha casa, entra no meu quintal e briga com meus gatos. A última vez foi séria, a minha gatinha teve uma ferida grande perto do ânus e precisou de muito tratamento. Hoje finalizou o tratamento e o gato voltou novamente a rondar aqui. E pior que não tem como saber de quem ele é, eu sempre espanto, faço barulho e ele não sai. Minha casa é pequena e não da para deixá-los aqui dentro, no quintal tem 2 árvores grandes que dão acesso ao telhado, sendo impossível isolar. Me sinto tão impotente e não sei o que fazer.

Rhaissa Queiroz disse...

Oi, gostei muito da matéria. Tenho 3 gatas em casa. A Jolie foi a primeira, tem 1 ano e 4 meses mais ou menos, ela era muito ativa e pestinha quando filhote, e conforme foi crescendo ela queria brincar com as crianças e com os dois cachorros da casa, ai eles se afastavam pq ela mordia e arranhava. Quando ela tinha uns 9 meses resolvi adotar a Alasca pra ela. Ela estranhou e rosnava muito mas até que foi rápida a adaptação, ela começou a brincar, dar banho e dormir abraçada na Alasca. Também se tornou de pestinha pra uma gata muito séria, muito na dela, mas sempre bem dada as brincadeiras da Alasca que se atira nela pra brincar de morder. Agora a Alasca está com 7 meses e resolvemos adotar uma gatinha que minha amiga achou na rua e não pôde ficar. Demorou um pouco mais pra Jolie e a Alasca aceitarem a presença da Kira em casa. E então a primeira que ficou dada a Kira foi a própria Alasca. Eu sinto que a Jolie quando aceitou a Alasca foi como um instinto maternal sabe, pela mudança de comportamento dela e todo o cuidado que ela tinha com a Alasca, mas eu acho que a Alasca teve uma aproximação com a Kira um pouco mais de "outro filhote pra mim brincar". Até o jeito de dormir é diferente, ela não dorme agarrada na Kira como a Jolie fazia com ela, só encostada. Queria saber se é normal a Kira se atirar pra morder as gatas adultas, se isso é só por instinto de filhote dela. A Alasca responde essas brincadeiras da mesma forma, mordendo, arranhando, correndo atrás. As vezes parece até que machuca sabe, mas a Kira não se importa e continua se embolotando junto. Já a Jolie dá umas mordidas e patadas e sai de perto, prefere ficar deitada na dela observando, mas ela ainda brinca de correr atrás da Alasca de vez enquando, e a Kira às vezes entra na brincadeira mas é como se a Jolie ignorasse o fato da Kira estar junto. É como se a Jolie estivesse com ciúmes da Alasca por estar brincando com outro gato. Não tem brigas extremas além disso, elas nunca se machucaram, é só com a resposta da Alasca a Kira pq a Kira só tem 1 mês e a Alasca já está grande pra ela mas ainda assim a Kira insiste em ter essas brincadeiras . Nem a Jolie nem a Alasca são castradas, pois elas não vão pra rua (moro no terceiro andar e tive um casal de gatos antes delas cuja gata saiu e levou quase um mês pra voltar, fora que tem gente ruinzinha aqui por isso não arrisco) mas logo elas serão pois a Jolie tem cios em que ela fica praticamente insuportável dentro de casa, se oferece até pros cachorros que saem de perto kkkkkk

Anônimo disse...

Tenho 3 gatos, um deles é macho, se dão super bem, porém de vez em quando aparece pelo meu quintal e nos telhados um outro gato macho que ronda por aí, e ele sempre ataca o meu gato, já separei muitas brigas, e fiz de tudo para espantar este outro encrenqueiro, mas ele sempre volta, não sei o que fazer, tenho medo dele fazer ferimentos graves no meu gato.

Anônimo disse...

Oi gente
Minha gata mais velha já era agressiva antes de eu adotar outros animais. Hoje ela aceita os cães mas a outra gata não.. só aceita carinho quando tem interesse em algo...como beber água na pia do banbeiro ou pedir comida....se eu tento fazer carinho nela ela morde. Pra piorar a situação ela só faz cocô no chão e xixi as vezes na vasilba mas ultiimamente tem feito no chao ....a convivência é bem difícil....sou veterinária também..rsrs santo de casa nao faz milagre né....

deia disse...

Boa tarde,
tenho um casal de gatos ambos castrados, eles se dão super bem, dormem juntos, brincam, mas do nada o macho que é bem maior que a fêmea ataca ela, no começo achamos que era brincadeira, mas na verdade ele bate com raiva, ate machucando ela, sempre que vemos separamos, mas eles ficam em casa o dia todo sozinhos, o que pode estar causando esse comportamento?

debrinha hadassa disse...

Olá! Sera q vc pode me ajudar?eu estou com um problema serio ... Tenho três gatas...sendo elas mãe e duas filhas. a mãe se chama Kitty e possue 4 anos e 1 mês, já as filhas Ice Cream e Cookie vão fazer 2 anos,a Kitty depois de ter as filhotes e elas era como toda a gata fofa e preocupada...mas depois de grande,como estão agora,ela não era mais tão chegada nelas ate mesmo rosnando de vez em quando ...eu brincava q ela era bipolar, mas isso agora já esta me assustando...ela começa a chegar perto da Cookie e começa a gritar, rosnar, e fica com o pelo todo inchado, a Cookie fica com o pelo inchado também mas começa a fazer xixi por todo lado e as vezes côco... Não sei mais o que fazer, meu pai esta falando que eu tenho que dar uma delas...não quero poder fazer isso... Amo elas e as tenho desde quando nasceram ...alguém me ajuda no que eu posso fazer...hj eu vou ver se acho erva de gato😢

Luna Navarro disse...

Tenho 3 gatos, 2 machos e 1 fêmea. Os meninos são irmãos e vieram juntos, tem 5 anos, a menina tem 1 ano, e apareceu aqui em casa. Os nomes são dos personagens principais de Harry Potter, e coincidência ou não Hermione é apaixonada por Rony e vice e versa. Hermione e Harry jamais foram muito próximos, mas se dão bem. Harry e Rony sempre se adoraram, e mesmo com a chegada da Hermione continuaram sua linda amizade. Os três dividem as caixas de areia numa boa, e os potes com água, apesar dos meninos preferirem água corrente. Só a ração é separada porque o Rony tem problemas renais e come uma ração diferenciada. O problema é que a noite quando todos dormem, o Harry monta as costas do Rony e morde o mesmo lugar quase todo o santo dia, e assim como a sua casa a minha é pequena. E poderia ser ciúmes pois descobrimos a pouco o problema renal do Rony e um início de problema no fígado, o que nos fez redobrar os cuidados com ele, ou por ele ter que dividir o irmão com uma nova moradora, mas não é o caso, porque antes da doença ou da chegada da gata, o Harry que já é castrado desde o primeiro ano de vida, morde o Rony naquele mesmo lugar. E eles tem consultas periódicas com a veterinária, que já me indicou um floral para acalmá-lo e de nada adiantou. Ou seja, não é um caso de gatos que se odeiam, eles se adoram, mas ás vezes o Harry fica meio louco e morde o pobre do irmão. O pior nem posso prender um deles nos quartos a noite porque ambos quase derrubam a casa. Mas de maneira nenhuma darei um deles, porque tanto eles quanto meus dois cães são meus bebês, e eu não posso viver sem eles.

Luna Navarro disse...

Tenho 3 gatos, 2 machos e 1 fêmea. Os meninos são irmãos e vieram juntos, tem 5 anos, a menina tem 1 ano, e apareceu aqui em casa. Os nomes são dos personagens principais de Harry Potter, e coincidência ou não Hermione é apaixonada por Rony e vice e versa. Hermione e Harry jamais foram muito próximos, mas se dão bem. Harry e Rony sempre se adoraram, e mesmo com a chegada da Hermione continuaram sua linda amizade. Os três dividem as caixas de areia numa boa, e os potes com água, apesar dos meninos preferirem água corrente. Só a ração é separada porque o Rony tem problemas renais e come uma ração diferenciada. O problema é que a noite quando todos dormem, o Harry monta as costas do Rony e morde o mesmo lugar quase todo o santo dia, e assim como a sua casa a minha é pequena. E poderia ser ciúmes pois descobrimos a pouco o problema renal do Rony e um início de problema no fígado, o que nos fez redobrar os cuidados com ele, ou por ele ter que dividir o irmão com uma nova moradora, mas não é o caso, porque antes da doença ou da chegada da gata, o Harry que já é castrado desde o primeiro ano de vida, morde o Rony naquele mesmo lugar. E eles tem consultas periódicas com a veterinária, que já me indicou um floral para acalmá-lo e de nada adiantou. Ou seja, não é um caso de gatos que se odeiam, eles se adoram, mas ás vezes o Harry fica meio louco e morde o pobre do irmão. O pior nem posso prender um deles nos quartos a noite porque ambos quase derrubam a casa. Mas de maneira nenhuma darei um deles, porque tanto eles quanto meus dois cães são meus bebês, e eu não posso viver sem eles.

Bruno Conceição disse...

Boa noite pessoal nao sei se me podem ajudar! Tenho 3 gatos em casa 2 gatas e um gato esterlizado o que acontece e que ja tenho os 3 a uns 2 anos e meiu mais ou menos e sempre se derao bem ou melhor dizendo a medida do possivel umas escaramussas mas muito de vez em quando... Uma das minhas gatas anteontem foi operada ( peometro) ontem trou-se a para casa e deixei com recomendacao veterinaria no quarto ao quente com agua comida e areia so para ela...hoje solteia um pouco porque me parecia muito triste e o que aconteceu foi o seguinte: em contacto com o gato tudo lindamente a gata assim que a viu atacoua logo eu tive de a tirar de baixoda outra porque tava muito fraca e pula de novo no quarto...apartir dai essa outra gata ataca o gato sem do nem piedade o que sera????

Unknown disse...

Olá gostaria muito de saber o seguinte:
Meus gatos se dão muito bem mesmo dormem juntos brincam e tudo que tem direito, mas quando o gato do vizinho sobe no muro... ai eles viram no cão, mais não com o gato do vizinho mas entre eles mesmo. E acho muito estranho isso, gostaria de saber porque isso ocorre?

Postar um comentário

Olá!
Estamos muito gratos por receber seu comentário aqui no Tudo Gato!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...