Gatos, cães e crianças nos colocam em situações difíceis. As crianças sempre sabem o que falar para deixar seus pais envergonhados, os cães nunca mancam ou tossem durante a consulta, deixando seus proprietários com fama de mentirosos e os gatos... ah, os gatos não se comportam como o esperado, NUNCA.

Eu fui trabalhar às 8:00 h como de costume, abri os cadeados, a porta, desliguei o alarme e entrei no consultório. Fiquei petrificada com a cena que eu vi. O monitor estava rachado, havia álcool iodado pelas paredes, uma cadeira no chão, a agenda cheia de papeis espalhados pela mesa, tinham gotas de sangue para todo lado, as gavetas abertas com seringas de 1, 3, 5 e 10ml pelo chão. Era segunda-feira e o plantão anterior havia sido da minha sócia, para a qual eu liguei imediatamente.

- Alô, Renata, acho que entraram na clínica, o consultório está um pandemônio!

- Relaxa, Alice, deixa eu te contar. Eu atendi um gato.

Eram 20:30 h e o telefone de emergência tocou. Era a dona do Anjinho, aquele gato SRD preto e branco, sabe? Ele estava sem comer há mais de 24 horas e muito inapetente. Sem brincar, sem beber água, sem se cuidar, apenas no canto, quieto.


Eu disse que poderia atender, que iria para a clínica imediatamente, afinal de contas, 24 horas sem comer não é bom para gatos.


Ao chegar à clínica ela já estava na porta, com o Anjinho dentro da caixa de transporte. Nem parecia que havia um gato ali dentro. Entramos no consultório e a proprietária fez menção de abrir a caixinha, quando eu falei:


- Calma, senhora, me deixa fechar as portas e janelas, isso é um gato.


- Eu sei, Dra Renata. Mas ele é comportado, não sai do meu colo, fica tranquila.


- Tudo bem, mas me deixa fechar, eu sei o que eu estou fazendo.


Alice, depois de fechar tudo então eu estava na minha mesa, digitando o histórico e a proprietária levou a caixa até a mesa de atendimento e abriu.


Eu não sei como te explicar, mas parecia lançamento de foguete da NASA. O gato saiu da caixa aos berros, pulou na minha mesa, derrubou o monitor e me olhou com cara de assassino. Eu subi na cadeira que, sendo de rodinhas, não consegui me equilibrar, caindo por cima da mesa e derrubando a agenda no chão. A proprietária gritava “Anjinho, Anjinho” e eu pensava “Anjinho o caramba”.


Ele decolou pelas janelas, tentando sair, e eu fiquei no canto mais canto da sala. A proprietária tentava pega-lo pelo rabo e eu falei “Assim nãããoooo” enquanto o Anjinho virava e arrancava bifes das mãos dela.


Ele então se lançou em direção aos gaveteiros e ao tentar subir abriu a gaveta das seringas, espalhando tudo pelo chão. Dali ele pulou no carrinho de enfermagem, fazendo essa pintura de álcool iodado que você está vendo aí. Então eu sai devagarzinho até o Banho e Tosa e peguei uma toalha.


Quando eu voltei a proprietária estava sentada na cadeira e o gato estava fora de vista.


- Ué, cadê o Anjinho?


Ela olhou para cima e ele estava pendurado no ventilador de teto.


Alice, depois de muito sacrifício eu consegui fazer com que ele pulasse para o basculante, sem ligar o ventilador, é claro, mesmo sabendo que assim seria muito mais fácil, entretanto outras lesões seriam tratadas no final. E do basculante ele pulou gentilmente na cabeça da proprietária, onde eu joguei a toalha e peguei o Anjinho.


Na mesa de atendimento ele nem parecia aquele felino selvagem. Coletei as informações, mediquei e mandei para casa. Ah, só para avisar, o mandei voltar hoje às 8:30 h. BOA SORTE!

Eu comecei a arrumar as coisas, chegou a Sra. mãe do Anjinho, com band-aid até na testa, dizendo:

- Bom dia Dra Alice, hoje o Anjinho está bem melhor.

Eu respirei fundo e disse: É? Que coisa boa. Então vamos lá coletar sangue.

Deixa essa coleta para outro artigo, me diz aí Bea, isso é história para Dia da Veterinária ou para o Foco Felino Selvagem?

Feliz dia dos Namorados atrasado a todas as mamães e papais dos Anjinhos.

Alice Albuquerque
diarioveterinaria.blogspot.com
twitter @alicevet



20 comentarios:

Bea disse...

Hahahaha, que é isso, meus selvagens sao mais bem comportados rs!
Eu presenciei um desses na sala de espera do meu vet, o dono do gato é um comediante famoso aqui que tinha trazido o gato sem caixinha de transporte; a recepcionista disse que era contra as regras da clinica, e justamente quando ele estava tentando convencer que o gato era um "anjinho" o bicho enlouqueceu e retalhou os ombros e pescoco do cara! Ai toca a gritar para os assistentes que trouxeram uma gaiola e trancaram a fera...

Zanarde disse...

Estou sem palavras....
Morri de rir aqui e acho que essa coluna promete....Espero que o anjinho tenha melhorado...acho que era mais coisa de exorcista que de veterinário....
a minha gata normalmente é meio arisca....mas no veterinário ela é um docinho.... parece que sou louca se falo que ela eh arisca.....ela deixa encostar na barriga...seria como o estopim para a bomba de aranhaduras e mordidas....
a gata da minha vizinha é o oposto....
Amo esse jeito deles....mas espero que para tirar sangue tenha sido um pouco mais tranquilo.....
Parabens pela coluna....essa promete muito....
Bjsss

Carla disse...

Minha gatinha mais nova - aquela que parece que tem uma patinha na abissínia - é temida na clínica veterinária, apesar de ser um doce com todo mundo lá em casa.
Quando foi castrada, teve que ser anestesiada dentro da caixa de transporte, com fazem com os gatos de rua mais ariscos.
No dia em que eu a levei prá tirar os pontos, a veterinária só me deixou abrir a caixa depois que pegou uma toalha prá imobilizar a minha 'anjinha'...

Janaina disse...

Hahahahahahahahaha!!! Rindo muito! Já vi um fazer isso dentro de um carro, na época em que eu não tinha caixa de transporte... parece bolinha de pinball quicando, um horror, ninguém segura! =D

Saninha disse...

Adorei...tô rindo muito imaginando cada cena...isso daria um ótimo filme de comédia...para nós que estamos lendo...mas para as veterinárias está mais para um filme de sexta-feira 13 hahaha
Estou doida para ler a segunda parte desse anjinho =D
Saninha

Laura disse...

Hahahaha..passando mal de rir com o "Anjinho"...

Adorei esta coluna!!!

beijos!

João Víctor disse...

Me lembra as tentativas de banho na minha gata...

Zanarde disse...

Lendo o post do João Lembrei que a minha gata é assim para tomar banho....Todo mundo pensa que to matando ela quando vou dar banho....Eu tenho o trabalho, levo arranhão e ainda pareço uma vilã....
O Anjinho ficou irônico....
bjssss

Madam Maxwell disse...

Estou rindo a 10 min do caso... Mas os vet's que acompanham a coluna sabem que existem MUITOS ( muitos mesmo)"Anjinhos" e seus proprietários inocentes. Gatos, quando mudam de ambiente, mudam tb a cabeça, até que se sintam seguros eles fazem o diabo! Espero que a mãe do "Anjinho" (ironia agora), tenha mais atenção com a criaturinha e dê menos prejuízo! E faço coro p/ logo termos a segunda parte da saga! Depois dizem que clinica de pequenos animais é coisa de dondoca...

Reynaldo N Kajita disse...

só tenho uma única coisa a dizer: CARACAS !!!!

Alice no País das Maravilhas disse...

ehehehe eu morri de rir escrevendo também. Obrigada gente, no final das contas a gente acaba rindo dessas façanhas.. =D

Aline disse...

Hahahahaha.... Gente, que loucura!!! E olha que ele era anjinho hem...imagina se não fosse!!

Que bom ler seus textos novamente Alice!!
Bjoss

faby disse...

Nossa morri de rir aqui, mas para a veterinária não é nada engraçado na hora. Fico no aguardo da segunda parte.

irma disse...

uma vez, nao por emergencia, levei o meu gato ao vet. não fui em qualquer um, óbvio, mas chegando no consultorio vi as janelas abertas e pensei o pior. pedi pra vet fechar e ela me olhou com cara de que imagiiiiiiiiiiiina ele é tao calmo. se eu nao conhecesse ele nao pediria !!!!! ele realmente foi um anjo, andou como se morasse ali e se comportou como um lorde mas imagina se dá alouca e resolve investigar MAIS a sala.....
a minha historia foi o contrario da do anjiiiiinho... ele precisava de um floral hahahah

Alice no País das Maravilhas disse...

Irma.... traz ele na minha clínica pleaasseeee ahahaah

Andrea Silva disse...

Olha eu não ri não, ainda estou meio traumatizada com o que o meu Gregório aprontou com o veterinário... E eu nem esperava que ele fosse um anjinho! Acho essa a parte mais dificil de cuidar de um gato, mas é bom saber que muita gente passa por isso, na época fiquei achando que a culpa era minha por não ter socializado meu felino direto.

Alice no País das Maravilhas disse...

Não não, Andréa, na verdade nem sempre se trata de um problema comportamental do felino. Existem diversas formas de tentar deixar o menos traumatizante possível a visita ao veterinário, tanto pelo cliente quanto pelo vet. Durante o aprendizado no atendimento ao felino, o veterinário descobre que a abordagem é completamente diferente daquela do cão na consulta, no exame físico, no internamento, nos banhos.
É importante para o profissional fazer essa distinção e saber educar o seu cliente desde o primeiro dia com o gatinho.
Abraços

Ale disse...

Nossa! O Anjinho deve um parente perdido de um dos meus (4) gatos, o Seu Bolinha! Na clínica onde o levo, unico vet de Porto Alegre que consegue o vacinar, o conhecem por "aquele teu gato".

Anônimo disse...

Muito legal, ri litros aqui, parabéns Alice =D

Anônimo disse...

EI GATINHO ME CHAMA PRA NÓIS FAZER UMA BANDA DE ROCK
MANO BROW

Postar um comentário

Olá!
Estamos muito gratos por receber seu comentário aqui no Tudo Gato!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...