9 de abr de 2009

Gatos e bebês - Parte 1

Curiosidade/Comportamento

Posto hoje a primeira parte traduzida de um texto inglês sobre o comportamento dos gatos em relação aos bebês humanos.

Estou dividindo entre umas três ou quatro partes para que não fique cansativo. Creio que essa matéria seja muito útil, pois todos vamos nos deparar com algum casal que tem bichanos e estão prestes a ter um bebê e, pra variar, sempre tem gente colocando medo nessas pessoas dizendo para se desfazer dos animais. Esses posts acabarão com quaisquer superstições que rodeiam nossos amigos gatos.

Espero que gostem!



É comum casais que conviveram com gatos por bastante tempo livrarem-se deles quando estão esperando um filho. Se você preparar o gato para a chegada do bebê, seu filho pode ter o prazer de crescer com um gato. O convívio de crianças com animais as ensinam a respeitá-los, além de melhorar seu sistema imunológico.

Um gato introvertido, que seja super dependente de você, mas se esconde de outras pessoas, pode se tornar ciumento e marcar território para encobrir o cheiro do bebê! Um gato indiferente, que seja tratado como um "hóspede" da casa, provavelmente ignorará o bebê. Essa série de matérias sobre gatos e bebês ajudarão a resolver esses probleminhas. Muitos gatos se tornam protetores do que consideram seus humanos e há casos de gatos que chegam a dar alarme no caso de o bebê mostrar sinais de alguma doença súbita.

Longe de serem criaturas más que desejam sugar a respiração do bebê, muitos salvaram a vida de bebês abandonados, deitando-se junto a eles e assim os livrando de uma hipotermia.

As emoções dos gatos são diferentes das emoções dos humanos e, ao contrário da crença comum, gatos não planejam fazer coisas ruins devido ao ciúme ou por vingança.

Você pode ter ouvido casos contados por pessoas mais velhas sobre gatos ciumentos que causam algum mal a crianças, tentando sufocá-las. Essas histórias assustadoras circulam regularmente em fóruns sobre gravidez e são geralmente exageradas. As poucas histórias genuínas acabam sendo noticiadas justamente pelo fato de serem extremamente raras. Casos sobre gatos sufocando bebês são comuns, mas geralmente a presença do gato no local é apenas coincidência. Houve apenas UM caso em que o bebê inalou pêlo de gato e sua respiração foi obstruída. Use um mosquiteiro para manter o gato longe do berço ou carrinho, assim você evitará possíveis arranhões ou bactérias.


A segunda parte da matéria chega semana que vem! Aguardem!

Abraços a todos e um ótimo feriado!

Lauesg



25 comentarios:

Alice disse...

Muito interessante esse assunto. Tenho um sobrinho recém nascido e estou gradualmente apresentando meus gatinhos a ele para que possam ter uma convivência tranquila.

Tânia (Marienkäfer Laden) disse...

Muito bacana esse texto! Gatos são muito limpos, acho difícil ser algo tão agressivo para o sistema imunológico de um bebê. Se o gatinho se acostumar com a presença do bebê, ele quase vira uma babá, hehehe.
Imagino que sempre tem de ficar de olho para o gato não subir no berço ou no carrinho, afinal são lugares fofinhos, mas depois ele acostuma.
:D

Claudinha disse...

Gostei muito do texto!
Nós que temos gatos já ouvimos muitas besteiras sobre eles, imagina tem vai ter filhos, então!

Eu praticamente nasci no meio de gatos, e o pior que aconteceu foi crescer e catar todos os gatos da rua e levar pra casa... rs... no resto tudo bem! ;P

ótima Páscoa pra todos aí!

Tamara L. Allgäuer de Melo. disse...

MUITO JÓIA!!!
ADOREI!!
BEIJÃO!
TAMARA - CAFÉ COM GATO.

Veridiana Maenaka disse...

Já estou ansiosa pela continuação!

Chat Gris disse...

:)
Feliz Páscoa!

bigode disse...

Boa páscoa!

Crazy Mary disse...

Adorei o post, essas matérias serão muito oportunas para mim que estou grávida de 8 meses e tenho 2 gatos e 1 cachorra. Já ouvi muitas vezes frases do tipo "quando o bebê nascer vc vai precisar dar um jeito nos bichos"; "vc nem vai ter tempo de cuidar dos bichos"; "eles vão ficar com ciúmes, vão sujar as coisas do bebê"... Óbvio que vão ficar com ciúmes, mas é tudo questão de paciência e tempo! Os gatos já inspecionaram e cheiraram o quartinho, quando o bebê nascer vou trazer uma fralda de tecido do hospital para cheirarem... e vou acostumando eles aos poucos. Também tenho certeza que a convivência de crianças com animais desde cedo só traz benefícios. E a ambos.
Espero as próximas matérias!

Anita disse...

Hola!

Me gusta tu labor informativa. Creo que entiendes bien el español, así que te paso unos links sobre gatos y niños que puedes difundir para desterrar viejas y falsas leyendas sobre los gatos y los niños: http://foro.gatorristas.org/viewtopic.php?t=19907

Nana disse...

Oi Lauesg:
Feliz Páscoa para vc e para os gatuchos!!!!
Passa lá no Blog... a Rifa do Cachecol já está rolando e a enquete também!!
Bjs

Milene disse...

Oi!! Quando minha filha nasceu eu tinha minha gata Soninho já há 6 anos. Soninho foi criada no meio de adultos, mimadíssima, mas se adaptou bem ao bebê. Ela ficou braba comigo!! Por uns 2 dias não quera saber de assunto comigo, me cheirava de longe e se afastava. Mas em seguida normalizou e demonstrou curiosidade com o bebê. Ficava observando até cochilar (as duas e eu também kkkkk). Nunca fez mal pra minha filha, até demonstrava mais paciência que o normal.
Bjs e Feliz Páscoa!!

Catish disse...

Olá
adorei o texto, já tinha os meus gatos qd nasceu o meu bebé, ele já tem quase 2 anos e continuamos todos por cá. Há eles custou-lhes um pouco a vinda do bebé mas já se habituaram. Mas continuam achar que são os meus filhotes preferidos :)
beijocas

Ma disse...

Adorei, Lauesg! Muito útil para uma futura mãe, cheia de gatos em casa. :)
Qdo vem a continuação?
abraços!

Lauesg disse...

Oi povo!!! Desculpem os atrasos de resposta. O tempo está curto nesses últimos tempos! rsrs...

MUITO obrigado a todos pelos comentários! Li todos! Mas vou começar a responde a pertir da próxima parte da matéria. O trabalho está me comendo vivo essa semana!

Tenho uma amiga me ajudando com a tradução. Creio que até sexta já tenho a segunda parte. Não sei se serão 3 ou 4 partes.

Abraços a TODOS e obrigado pelo carinho!

Lauesg

Vivi e Mozart disse...

Muito legal esse assunto, tb pretendo em alguns anos passar por essa experiencia e tudo que vem para ajudar é bem vindo!
Parabéns pela iniciativa!
Bjs e lambidas,
Vivi e Mozart

Paola disse...

olá... adorei o texto...e para falar a verdade um pouco apreensiva com relação a esse assunto estou grávida de 9 meses e tenho dois gatinhos que estão comigo desde de bebes hoje eles tem quase dois anos...meus pais estão me pertubando a cabeça dizendo que tenho que dar os bichinhos que eles vão fazer mal para bebe com relação aos pêlos deles...não sei o que faço não quero me desfazer dos meus bichinhos e tmb não quero que isso faça algum mal a minha filha...alguem que já passou por isso pode me ajudar???
beijos e obrigada
Paola

Lauesg disse...

Oi Paola!
Olha... Vou te dizer que EU estou passando EXATAMENTE pela mesma situação.
Minha esposa também está de 9 meses e temos dois gatos com a mesma idade dos seus.
Gente pra criticar SEMPRE terá! MUITA gente nos enche com isso também, inclusive nossos pais. Mas os gatos não vão fazer mal ao bebê. Diga que não vai se desfazer deles e ponto final (que você se responsabiliza pelas consequências). O bebê é SEU e não deles, assim como os bichanos.

É claro que deverá tomar certos cuidados. Deve ensinar aos gatos que eles não devem subir no berço e coisas assim. Podemos trocar figurinhas.

É claro que se o bebê tiver alergia os cuidados serão ainda maiores. Leia depois os posts sobre alergia que postei aqui também.

Qualquer coisa estarei no e-mail: tudogatotv@gmail.com Será mais fácil nos comunicarmos por aí.

Abraços!
Lauesg

renata_beauvoir disse...

Olá, meu nome é Renata, grávida de 9 meses, e tenho o Petit a tres anos. Ele mudou o comportamento com a gravidez, ficando mais manhoso e intrigado com a barriga e a impossibilidade de ficar no colo. Fez xixi duas vezes dentro do berço na nossa ausência, tb no trocador outra vez e fez cocô na cama da minha enteada. Temos dado mta atenção a ele, mas o bichano nao gosta de crianças, tanto q nao faz vinculo com a minha enteada de 7 q ama gatos... e ja arranhou a filhinha de uma amiga de 2 anos, com adultos ele é um doce, ronrona, fica no colo, mas bebe é só ele... nao sei se ficar com ele nao coloca em risco o meu bebe qdo nascer, visto ele nao aceitar bem crianças, ele é mto ciumento e possessivo, será que ele pode mudar? tem algo que eu poderia fazer? ja tive outros gatos e noto que cada um tem um perfil diferente, ficaria tranquila com outros bichanos q tive, mas tenho medo de me distrair e ele aprontar, e sei q a urina de gato pode transmitir doenças, ainda mais para recém-nascido. n quero ser uma mae omissa, mas fico com coração partido de doar meu bichano tb. colocamos uma tela na janela do quarto da bebe e ele conseguiu a aparentemente impossivel tarefa de passar por ela... imagina qdo nascer o bebe?

Lauesg disse...

Oi Renata... Pena não ter um e-mail para ter certeza de que recebeu essa resposta. Fui atrás de uma amiga gateira que pe passou algumas coisas sobre seu caso. Espero que ajude:

A Renata se preocupou um pouco tarde sobre essa questão. Deveria ter procurado a solução antes para poder resolver um tempo antes do bebê chegar.

O fato de a enteada dela amar gatos,não quer dizer muita coisa,precisaria saber COMO a garota demonstra esse "amor" ao bichano!Ela não deve fazer por mal,mas muitas crianças não são corretamente instruídas sobre como lidar com gatos!
Ela tem razão numa coisa:cada gato é diferente do outro!Tem gato que permite que vc faça tudo c/ele,mas tem gato que não gosta de ser agarrado,pego no colo,enfim,nada de contatos mais próximos,mas aceita ser acariciado se estiver no chão ou em outro local onde se sinta seguro!
Também tem outra questão: se a criança,ou mesmo adulto,for meio estabanado e tentar acariciá-lo de forma mais brusca,o bichano não vai gostar, mesmo!É até capaz de se assustar!Dependendo do "carinho",ele pode interpretar como uma ameaça ou até mesmo agressão e não como demonstração de afeto!Assim,a tendência dele,por instinto,é se defender com arranhões,ou se afastar p/se esconder,dependendo de seu temperamento!

Nenhuma excreção de animais,seja de gato,cão,ferret,tartarugas,etc,é saudável para um bebê,mas confesso que não sei que doença é essa,que xixi de gato transmite,mesmo tendo tido gatos por tantos anos!Ela deve estar confundindo com toxoplasmose,que o cocô do gato infectado pode trasmitir,caso a pessoa ingira as fezes dele,ou coloque as mãos na boca ou manipule alimentos,sem lavar muito bem as mãos,após ter manipulado a caixa sanitária...Carne mal cozida e verduras mal lavadas podem contaminar c/MUITO mais facilidade,do que fezes de gatos!

Esses xixis e cocôs fora da caixa sanitára é marcação de território!Ela não diz se o gato é castrado (o ideal seria castrar o gato)... o fato de ele fazer xixi e cocô no berço e no trocador não significa que ele tenha algo contra o bebê,afinal,a criança ainda está na barriga da mãe e esses objetos ainda nem tem o cheiro da criança,mas de COISAS NOVAS!Que gato não fica curioso,quando trazemos algo novo para dentro de casa? Ainda mais se for algo grande,como o berço e o trocador? Ele colocou o cheiro dele nas coisas novas,só isso!

As pessoas erram ao dar atenção demais ao bichano durante a gravidez,porque depois que o bebê nasce,o gato,na maioria das vezes,é colocado em segundo plano e acaba se ressentindo!O ideal é continuar tratando-o com amor e carinho,durante a gravidez,mas não exagerar.Tentar agir normalmente,na minha humilde opinião,é a melhor coisa a fazer!
Depois que o bebê nascer, seria bom se tivesse alguém da família,que pudesse dedicar mais tempo em ficar com bichano,cuidar dele com mais atenção e,como diz o texto do Messybeast,seria bom que as visitas não o ignorassem,que lhe dessem atenção,falassem com ele,também!(mas sem grandes contatos físicos,afinal,não sei se ele aprecia isso!)
Eu acho que o importante é fazer com que o gato tome parte do que está acontecendo,que se sinta parte de verdade da família e que sinta a chegada do bebê como uma experiência boa!
NUNCA se deve forçar o gato a ficar perto do bebê,mas é uma boa idéia recompensá-lo com agrados,tipo Whiskas Temptations,quando ele se comportar bem,quando estiver próximo do bebê!Assim,ele associa a presença da criança a algo bom!

Não tenho "know-how" com crianças, só com gatos!rss... Seria bom a Renata pedir algums dicas a mais para o veterinário que cuida do gato e seria bem válido procurar comunidades de gateiras c/bebê,no Orkut,para trocar experiência e conseguir mais dicas!

Só falo o seguinte,em relação a problemas de comportamento em gatos: quanto mais atenção damos aos problemas,mas eles se tornam difíceis de serem resolvidos!Gatos AMAM chamar a atenção de seus donos,é típico deles,mas não é legal castigá-los,nem vale a pena arrancar os cabelos por isso.O ideal é fazer o máximo p/ manter o equilíbrio.

Espero ter ajudado!

Abraços

Roberta Bassi disse...

Olá, estou grávida de 3 meses e tenho um gatinho de 7 anos muito carinhoso pelo qual sou apaixonada. O problema é que exatamente por ele querer estar sempre por perto, ele deita não do lado, mas em cima da gente... e ele tem 5 kilos!! Penso em comprar um berço que ao invés de grades tenha uma proteção que impeça o gato de "cutucar" dentro do berço com a pata... mas não vi nenhum modelo do tipo!!! Se alguém souber pode me dar a dica??
Quanto ao gato ficar em cima do bebê, penso em mandar fazer uma proteção com rede firme que encaixe em cima do berço!
Obrigada!

= Tudo Gato = disse...

Oi Roberta.Espero que volte aqui para ler a resposta. Se tiver outra dúvida deixe seu e-mail que responderei pessoalmente! :^)

Existe um berço com telinha sim, não um, mas sei que tem dois fabricantes. Em casa compramos um desse, mas não por causa dos gatos, mas sim porque tínhamos medo da bebê enroscar a perninha na grade dos berços convencionais.

O gato, se tiver vontade, irá subir no berço, não só ficar cutucando.

Em casa temos dois bichanos, uma SRD e um Bengal de mais de 6kg. O que fizemos foi deixá-los conhecer o berço nos dois ou três primeiros dias. Mantivemos o plástico no colchão e permitimos que eles vissem como é e o que é aquilo. Depois disso passamos a tirá-los de dentro e repreendendo-os com um forte NÃO! Foi um trabalho de uns 3 meses até que eles realmente desistissem de subir lá. Você ainda tem um bom tempo pra fazer isso até seu bebê nascer.

O berço da nossa bebê é da "Sleeper". O site é esse: http://www.sleeper.com.br Vá na categoria de produtos e busque pela 'Linha Composta'. É um berço com trocador que, depois que a criança crescer, pode virar uma bicama. É caro, mas vai economizar a longo prazo.

O lance do "NÃO" deverá ser aplicado com esse berço também, já que a telinha é de tecido e eles vão querer afiar as unhas lá.

Procute também, um ou dois meses antes do nascimento do bebê, um veterinário que possa indicar um floral para ir acalmando seu bichano para a chegada do novo membro da família! :^)

Mas não se preocupe. Os gatinhos sempre aceitam bem os bebês, pode ser que role um ciuminho, mas ele não vai descontar isso na criança, pode ser que ele vá ignorar você por algum tempinho ou querer ficar chamando atenção, mas isso já é outro papo! rsrs...

Espero ter ajudado com a história do berço! :^D

Abraços,
Lauesg - Tudo Gato

giselle disse...

Olá td bem th um gato de 7 meses e mh irmã ta gravida,e meu gato ele é um pouco bravinho e gosta muito de morde chamo ele até d giraia ou samurai pk ele não para é muito ativo ele foi castrado á 2 meses será k ele vai sussegar com o tempo ou vai demorar th medo devido a chegada d bebe obrigada desde já bjus meu mesg é giselelima65@hotmail.com

Anônimo disse...

Oi gente estou grávida de 5 meses e tenho uma "filhota" de dois anos que adotamos.
Nós a amamos muito e queremos muito que ela se dê bem com a irmãzinha que está chegando. Há uma semana minha gata me mordeu com força e me machucou. Estávamos eu, meu marido e ela (do meu lado) vendo tv e do nada ela me atacou com força. Fiquei muito preocupada com isso poder se repetir com a bebê. Porque será ela fez isso? Será que já sente ciúmes só por eu estar grávida? E o que me sugerem para lidarmos com a situação? Amamos nossa gatinha e queremos continuar com ela, mas queremos nossa bb em segurança. Grata.
Adriana.

Anônimo disse...

gostei como os gatos são amigos do bebe.

Anônimo disse...

Olá tenho uma bebe de 1 aninho, quando engravidei eu tinha 1 gata e continuei com ela agora são 2 mãe e filho não os joguei fora... bom a convivência com a minha bebe e a minha layla (a gata) (e o filho dela) q a nene o chama de Bu é ótima eles ficam juntos a nene chama eles... ela corre com o andador atras deles é um barato. Certa vez qdo ela era ainda recem nascida ( a nenem) o leite voltou e ela engasgou e eu não vi... quando eu olhei para o carrinho vi a minha gata me olhando e chaqualhando a cabeça e quase dentro do carrinho eu não entendi e fui la correndo ver... qdo cheguei a nene estava com o leite voltando pelo nariz e a boca se a gata nao visse não sei o q seria pq ela ficou deseperada e de la pra ca qq coisa q a nene faz ela corre pra ve se esta td bem ateh no berço ela vai dar uma olhadinha na nenem é um barato Deus deixou os animais para nos fazer companhia e aprendermos com eles a ser mais humanos eu recomendo qq animal de estimação eles fazem bem ao coração e a alma.

Postar um comentário

Olá!
Estamos muito gratos por receber seu comentário aqui no Tudo Gato!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...