20 de ago de 2012

Mau Egípsio | Gatos de Raça


Foto: http://lolosad.com
Você pode dizer aos gatos o que fazer, mas o ‘Mau Egípcio’ economiza tempo, lendo sua mente.

História

Lendas e mitos


Há pouca dúvida de que o antigo Egito foi o berço do felino doméstico que chamamos de ‘Mau Egípcio’. Seus ancestrais são altamente visíveis nas obras dos antigos egípcios. Muitas de suas imagens eram de gatos manchados que tinham características da raça ‘Mau Egípcio’ de hoje.

Os antigos egípcios são os primeiros a deixar extensa evidência de sua aliança com os gatos,  que começou cerca de 5.000 anos atrás, de acordo com as escritas egípcias, estátuas e outras obras de arte. Presumivelmente, os gatos foram adotados por sua capacidade de manter os roedores longe das lojas de grãos e, assim, evitar a fome, e também por sua capacidade de matar cobras. Mas depois os gatos domésticos se tornaram companheiros queridos, e, em seguida, animais sagrados associados com os deuses.

Na mitologia egípcia, a deusa Bast era descrita como uma mulher, esbelta e majestosa com a cabeça de um gato e, muitas vezes cercada por gatinhos. Os gatos eram tão reverenciados e amados, que após a morte de um felino, os egípcios entravam em luto, raspando suas sobrancelhas e gemendo alto como sinais de sua dor. Matar um gato, mesmo involuntariamente, era punível com a morte. Os gatos foram mumificados, e mais de trezentos mil gatos mumificados foram descobertos quando arqueólogos escavaram o templo de Bast, na cidade Per-Bast .

Como não temos provas conclusivas de que o ‘Mau Egípcio’ de hoje descendeu do gato manchado do antigo Egito, talvez nunca saibamos a verdade. Talvez apenas Bast saiba ao certo.


Fatos

Recentes descobertas em pesquisas lideradas pelo geneticista de felinos, o PhD Leslie Lyons, confirmaram que os  primeiros gatos se originaram no Egito.

A história moderna cita o ‘Mau Egípcio’ no inicio de 1900, quando criadores os exibiram na Itália, Suíça e França, no entanto, a Segunda Guerra Mundial dizimou a população de ‘Mau Egípcio’ na Europa, como fez tantas outras raças de gatos. Por meados dos anos 1940, quase não existiam ‘Mau Egípcio’.

O ‘Mau Egípcio’ egípcio chegou aos Estados Unidos em 1956, quando a princesa russa Nathalie Troubetskoy, com a ajuda de Richard Gebhardt, importou três filhotes da Itália: Duas fêmeas, Baba e Liza, e um macho chamado JoJo.

Foi reconhecido primeiramente pelo Cat Fanciers Federation  (CFF) em 1968, e logo em seguida pelo Canadian Cat Association - l'Association félin Canadienne (CCA). A Cat Fanciers' Association (CFA) aceitou para campeonato em 1977. Hoje, todas as associações norte-americanas aceitam o ‘Mau Egípcio’. Entre 1980 e 1990, as importações ampliaram o pool genético. A TICA descreveu os padrões da raça em 1988. A FIFE homologou a raça em 1992

Foto: http://www.hogarutil.com

Aparência

O ‘Mau Egípcio’ é a única raça que adquiriu seus pontos sem intervenção humana, tornando esta raça um pacote agradável de beleza natural. O corpo é longo e gracioso, mostrando sua força desenvolvida. As patas estão em proporção ao corpo, com as patas traseiras proporcionalmente mais longas, dando a aparência de estar na ponta dos pés. Os pés ligeiramente ovais são pequenos e delicados. A cauda é moderadamente longa, grossa na base, com uma ligeira conicidade. Os machos adultos pesam de 4,5 a 6,5 quilos; fêmeas adultas pesam entre de 2,5 a 4,5 quilos.. Não há cruzamentos permitidos.

A cabeça é um pouco arredondada, em formato de cunha sem superfícies planas, de comprimento médio, sem bochechas cheias. O perfil mostra um contorno suave com um ligeiro aumento a partir da ponte do focinho até a testa. O comprimento total do focinho é o mesmo em largura, quando visto de frente. O focinho, nem curto nem pontiagudo, flui para a cunha da cabeça. O queixo é firme e não recuado nem saliente.

As orelhas são delicadas, com a coloração rosa, quase transparente, afastadas, de tamanho médio a grande, largas na base, e moderadamente pontudas. Os olhos são grandes, alertas e amendoados, com uma ligeira inclinação em direção às orelhas. Tem um formato entre o redondo e o oriental. A cor dos olhos é luminosa, verde descrita como verde groselha. A cor dos olhos muda, com um pouco de verde perceptível aos oito meses de idade, e verde bem viva aos dezoito meses.

A pelagem, vívida e manchada é característica mais marcante do ‘Mau Egípcio’. O pelo é  de comprimento médio, com um brilho lustroso. A textura varia de acordo com a cor da pelagem; gatos com a cor de fumo(smoke) tem pelos sedosos e  finos, enquanto os gatos de cor prata(silver) e bronze tem pelos densos e resistentes. No entanto, o padrão manchado está sempre presente, e não depende da cor.

O tronco é aleatoriamente marcado com manchas que variam em tamanho e forma. As manchas de cada lado do corpo não necessitam corresponder. As manchas podem ser pequenas ou grandes, redondas, retangulares ou de forma irregular, mas deve ser diferente. Existe um bom contraste entre a cor de fundo e as marcações. A testa é marcada com manchas em formato de ‘M’, formando linhas entre as orelhas que continuam abaixo da parte dorsal do pescoço. A cauda tem manchas em formato de anel e tem uma ponta escura.

As bochechas são barradas com linhas de rímel que começam no canto externo do olho e continuam ao longo do contorno do rosto. Uma segunda linha começa no centro da bochecha e as curvas de cima, quase reunidas a primeira linha abaixo da base da orelha. A parte superior do peito tem um ou colares. As marcas no ombro fazem uma transição entre listras e bolinhas. As patas anteriores são fortemente barradas, mas não precisam combinar. As patas posteriores têm manchas que fazem uma transição entre formas de listras e bolinhas, quebrando em barras na parte inferior da pata.

Bronze, silver(prata) e smoke (fumo) são as cores permitidas em campeonato, mas ‘Mau Egípcio’ também são encontrados com marcas azuis em quatro cores: prata azul, azul manchado, fumaça azul e azul sólida. Em 1997, as cores azuis foram aceites para registro pelo CFA e as três cores azuis manchadas podem ser registradas, mas não para campeonatos. ‘Mau Egípcio’ sólidos negros podem ser utilizados em programas de criação, mas não pode ser exibidos em desfiles.

Foto: http://nekomaniaoverun.blogspot.com.br

Saúde e Predisposição a Doenças

•    Diabetes tipo-2. Estes gatos são propensos a sintomas de hipoglicemia, onde os níveis de açúcar no sangue caem rapidamente. Felizmente, diabetes tipo-2 felina é uma doença controlável com uso de insulina na dose correta.
•    Doença intestinal inflamatória do felino. Provoca desidratação, diarréia, vômito, constipação e desequilíbrio ácido básico  no trato digestivo do gato provocando desconforto e irritação.
•    Doenças cardiovasculares: É propenso a HCM(cardiomiopatia hipertrófica) e tromboembolismo, o que resulta em pequenos coágulos de sangue na aorta. Esta condição pode levar a uma falha do coração no animal.
•    Propenso a alergia a anestésicos, vacinas e medicamentos em geral.
•    Propenso a luxação da patela, e artrite.
•    Propenso  a asma felina.
•    Propenso a alergias alimentares.
•    Propenso a  alergias dérmicas.


Foto: http://didier.hallepee.pagesperso-orange.fr

Cuidados

1.    A pelagem do ‘Mau Egípcio’ é de tamanho médio, bastando escovar e pentear duas vezes por semana com pente de aço, para remover os pelos mortos. Certifique-se de prestar atenção para alguns emaranhados nas axilas.
2.    Limpeza semanal nos ouvidos, usando sempre um produto próprio para essa finalidade, que se encontra em pet shops. Coloque o gel para limpeza, e depois de 20 minutos limpe com auxilio de meio palito de sorvete envolto com algodão, ate que ele saia sem sujeira aderida.
3.    Manter vacinação e vermifugação em dia, e seguir demais orientações de um médico veterinário, fazendo uma visita a cada seis meses no mínimo. Obs: Não vermifugar antes de fazer um exame para ver se realmente o animal apresenta parasitas.
4. Oferecer ração de boa qualidade, e água mineral ou filtrada.


Comportamento/Temperamento

Personalidade


O ‘Mau Egípcio’tem sido muitas vezes visto como distante e tímido. Em certa medida, a raça pode ate ser, mas a raça tem uma afinidade especial com seu dono. É um vínculo estreito muito diferente que qualquer outra raça. O ‘Mau Egípcio’ típico vai comandar a sua atenção. Ele não permitirá que o empurre para longe, assim como anseia o toque das pessoas especiais que são dele e só dele. É o centro do seu mundo, e sabe que por isso ele assume sua vida com seu incrível poder de persistência e sua gentileza. A raça é muito leal e, não há como parar o amor, atenção e adoração que Mau egípcio terá por você.

Ele segue as ordens e é muito bom em buscar  objetos, talvez um vestígio de seus antepassados. A caça é também um atributo herdado. ‘Mau Egípcio’adoram brincar dentro de casa com jogos de caça e se for dada permissão, vão caçar ao ar livre.

Eles têm um extraordinário poder de olfato, audição e visão. São gatos tímidos e sensíveis, facilmente transtornados por ruídos repentinos, altos e desagradáveis. Se você pretende mostrar a eles que ruídos são inofensivos, deve começar a trabalhar com eles no momento do nascimento para que eles se acostumem com sons diferentes.

Tem uma voz doce e musical que, as vezes é, muito parecido com um pássaro. Isso geralmente acontece quando ele esta feliz ou quando vê algo emocionante, como um inseto brincalhão.

Tem sido relatado que ama a água em várias publicações. Isso varia muito. Alguns proprietários relatam que seus gatos gostam de ficar na banheira ou no chuveiro, no entanto, às vezes é exatamente o oposto.

Uma característica dessa raça é "testar" a sua água potável com sua pata antes de beber. Isto é um resquício dos tempos antigos, quando os seus antepassados urinavam para marcar o local. Neste caso, faria bem verificar antes a água.

Notas

Nota1: Esta coluna, não é uma coluna veterinária, por isso as doenças não são detalhadas, tendo apenas uma descrição básica. Para informações maiores, entrem na coluna Dia de Veterinária, http://www.tudogato.com/search/label/Dia%20de%20Veterin%C3%A1ria
Nota2: Apesar de todas as qualidades de um gato de raça, um vira latinha apresenta milhões de qualidades, que o farão tão ou mais especial que qualquer gato de raça pura.
Nota3: Pense sempre em adotar um gatinho. Não existe um ato de amor tão especial, quanto a adoção.



MV Marcelo Samegima Aleixo
http://www.facebook.com/profile.php?id=100000623329523
e mail e MSN: msaleixo@hotmail.com



6 comentarios:

Allan J. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Allan J. disse...

Parabéns pela publicação, foi a melhor sobre Gatos De Raça, muito inspirador!!
No filme Mulher-Gato(2003) fala muito sobre essa raça, aliás todo o filme é focado no Mau Egpicio,Para quem gosta de gatos é Imperdível!!.

João Víctor disse...

Uma curiosidade: No Museu Nacional aqui no Rio de Janeiro, há na exposição permanente uma aréa dedicada ao Egito, e lá uma múmia de gato!!!! Vale a pena dar uma olhada na próxima visita ao RJ!!

http://www.museunacional.ufrj.br/

Anônimo disse...

Eu tenho uma gata ela é uma mau egipicio e ela se deita nos meus pés ela se roça a cabeça sobre meus pés pq isso?

Vera Biersack disse...

Oi. Eu quero muito ter esse gato. O que posso fazer pra ter esse gato?

VANNIA disse...

Qual o preço,e onde comprar um Mau Egipcio?

Postar um comentário

Olá!
Estamos muito gratos por receber seu comentário aqui no Tudo Gato!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...